O que há de estranho em mim - Gayle Forman

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.
Brit é uma adolescente que vive sob circunstâncias adversas. Sua mãe foi diagnosticada com esquizofrenia e sumiu no mundo. Ela ficou com o pai a qual ela era apaixonada e que era o pai perfeito até que ele conheceu a Monstra e com quem acabou se casando. Enquanto eram apenas os três ainda era fácil lidar, porém depois que ela engravidou e nasceu Billy, sua vida tem se transformado em um verdadeiro tormento. Tudo é desculpa para que repreensões e críticas. Sua válvula de escape é sua amada banda de punk rock, onde ela se entrega por horas a fio, evitando assim qualquer convivência com sua família. Seu pai então, preocupado de uma forma equivocada, acaba por interna-la em uma instituição para adolescentes problemáticos. Brit não acredita mesmo que esta tenha sido uma decisão particular do pai. Para ela, tudo o que ele faz é por influência da madrasta infernal. Ludibriada, ela é literalmente largada na instituição onde ela percebe que de todas as coisas ruins que já passou até ali, tudo pode piorar muito. Em uma reação natural, a negação por tudo o que lhe tem acontecido, o reconhecimento de não merecer tal tratamento, lhe transborda o peito, mas sua negação é arma utilizada pelos administradores para que lhe imputem punições. Orientada pelas outras internas, ela aos poucos começa a compreender que ali, vale a lei do mais esperto, e que muitas garotas irão fazer de tudo para vê-la sempre no chão. Os métodos de disciplina impostas pela instituição são extremamente questionáveis e nada ortodoxos. Para começar, tem o estranho tratamento de achacar um colega em um tratamento em grupo, levando a interna às lágrimas por tal nível de humilhação. Brit não aceita tão conceito de disciplina, e junto com outras internas dão início a uma investigação que as levarão a fatos e informações de verdadeiro terror.
Isso era a coisa mais absurda do mundo. Que tipo de instituição educacional ia querer que a pessoa não tivesse amigos nem se divertisse pelo menos um pouco? Que tipo de lugar ia querer que a pessoa ficasse sozinha e triste, sentindo-se desprezada, só em nome da terapia? (Pág. 72)
Em mais um drama psicológico da autora Gayle Forman, sentimos o baque dos conflitos de um adolescente que, sem o amparo da família, se perde nas suas dores. Brit nasceu em um lar amoroso, mas foi vítima da doença de sua mãe e da instabilidade do pai. Eu tive muita empatia por Brit, no seu desamparo e vulnerabilidade. Gayle, mais uma vez foi perfeita em prender nossa atenção com um enredo tão forte, que nos atinge e mexe com o mais frio dos sentimentos.

Forman, Gayle. O que há de estranho em mim. São Paulo: Arqueiro, 2016.

Read more...

Garota Exemplar - Gillian Flynn

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo – o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza –, "Garota Exemplar" alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública – e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy –, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?
 Amy se encantou por Nick já no seu primeiro encontro. Ele era o homem que ela sonhou para ela. Para ser o seu Andy, o capaz, fazendo uma analogia direta ao personagem criado como par da Amy exemplar, ambos criados por seus pais para uma série literária e que foi grande sucesso. Os pais de Amy era o casal perfeito. Juntos há muitos anos, sempre estavam em companhia do outro para tudo. Chegava a ser maçante a forma como eles estavam o tempo todo se tocando, se completando e tomando decisões para como as coisas deveriam funcionar, até mesmo no relacionamento de Amy e Nick. No primeiro ano de casamento, tudo são flores, mas quando Nick perde o emprego, os primeiros problemas tomam forma e pioram ainda mais quando é chegada a vez da própria Amy perder o seu. Não que o emprego de ambos fosse lá grandes coisas, já que ele escrevia críticas de cinema para uma revista e ela criava testes psicológicos para revistas femininas. Mas é no aniversário de comemoração de cinco anos de casados que o pior acontece: Amy desaparece. Em uma cidade onde nada acontece, onde a calmaria é ordem e cuidar da vida dos outros é um passa tempo preferido, a vida de Nick se transforma. Sua esposa desapareceu e a sua completa ausência de emoções são um prato cheio para os desocupados de plantão, que logo desenvolvem uma teoria que irá se transformar em um massacre público.
É uma época muito difícil para ser uma pessoa, apenas uma pessoa real, de verdade, em vez de uma coleção de traços de personalidade escolhidos de uma interminável máquina automática de personagens. E se todos nós estamos atuando, não pode existir algo como uma alma gêmea, porque não temos almas genuínas. (Pág.86)
Acho que quase todo mundo já leu este livro e eu estava sempre curiosa para ler também. Evitei o filme o quanto pude, já que não achava oportunidade de ler o livro. Até que ele foi o escolhido para o livro do mês do clube e as fãs de carteirinha quase se digladiaram para saber quem iria escolhê-lo para mim. Adoro! Comecei o livro com uma vaga ideia do que me esperava e já fui traçando o meu julgamento e minhas condenações. E à medida que a leitura avançava, algumas coisas eram acrescidas. Mas, quando os fatos vão sendo revelados, todas as minha criticas foram rasgadas e jogadas no lixo. Não dá pra descrever o que se passa dentro da minha cabeça, só posso dizer que cada um tem o demônio que merece.

Flynn Gillian. Garota exemplar. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. 

Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016


Bom dia meus queridos!!!

Eu sou daquelas que acha super difícil se levantar na segunda-feira cedo, então, o que não tem remédio... Para alegria de uns e tristeza de outros, o horário de verão acabou...Eu sou daquelas que não nutri assim um sentimento tão fervoroso, simplesmente porque eu acho o horário de verão útil, apenas isso e nada mais. Como assim útil????

Da mesma forma que eu acho horrível acordar seis horas da manhã na total escuridão, adoro sair do trabalho ainda com a luz do dia. Viu? Um pró e um contra. 
Mas não tem coisa pior do que acordar em qualquer dia da semana com o sol batendo na cara e descobrir que ainda são cinco horas da manhã, já está um calor dos infernos, você mal acordou e já está cansada e com calor, e o pior, não vai conseguir dormir novamente. Oi?!

Pois é! Acho o horário de verão útil, porque eu acho que ele nos causa um equilíbrio da luz do dia. Apenas isso. Eu não estou dizendo que você é exagerada quando diz que odeia, eu acredito. Cada organismo reage diferente e respeito. Agora é só começar a rezar para a temperatura dar uma abaixada, pois o calor está demais, não é mesmo? Outra coisa que é legal, mas se fosse pra ficar o ano inteiro não ia ser bom,  apesar de que tem ano que o clima fica quase estático, mas é gostoso também quando o calor vai reduzindo aos poucos, dando lugar para aquele clima gostoso do outono até alcançar o inverno, que é a melhor estação do mundo para se dormir. Yupeeee!!!! Por isso, aproveita a ultima semana de fevereiro. É minha gente... outro dia estávamos comemorando o ano novo, agora estamos entrando no último mês do primeiro trimestre. 

Read more...

Um beijo inesquecível - Julia Quinn

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.

Hyacinth é a caçula da família Bridgerton e aos 22 anos precisa enfrentar sua mãe e seus irmãos na determinada intenção de escolher um marido. Mas para ela, ela também tem o mesmo direito dos seus irmãos: escolher seu consorte de acordo com seus sentimentos. Ela também deseja se apaixonar por um homem incrível, que desafie sua inteligência. Ela pode não admitir, mas no fundo é uma romântica sob a carapuça de liberal e moderninha. Gareth St. Clair é um homem com muitos fantasmas, mas não tem vergonha de sua condição. Rejeitado pelo pai, um lorde falido e de coração duro, ele não se envergonhou em ser acolhido por sua avó materna, a Lady  Danbury, uma mulher franca e direta, ao mesmo tempo respeitada e temida por seu humor sarcástico. Surpreendentemente, apesar da diferença de idade, existe entre Lady Danbury e Hyacinth uma amizade longa e sincera. Por mais de uma vez, Hyacinth foi comparada com Lady Danbury e ela se orgulhava de tão prestimoso elogio. E quando Gareth herdou um diário da sua avó italiana, a única que ele encontrou para ajuda-lo foi Hyacinth com sua perspicácia e curiosidade. Para ela, traduzir o diário é a maior aventura de todos os tempos, principalmente acompanhado pelo atraente dono. A atração entre eles é evidente, mas teimosamente não dão o braço a torcer. Porém, com a ajuda da audaciosa Lady Danbury, eles não terão como fugir do destino que os cerca.
Ele estremeceu. A simples ideia de ter Hyacinth Bridgerton como sua companheira de vida... Parou por um momento, piscando, surpreso. Bem, não era horrível, na verdade, mas ao mesmo tempo deixava qualquer homem bastante inquieto. (Pág.114)
Quando você pensa que o último foi o melhor, somos surpreendidos pelo próximo. Incrível como a autora escreve sobre sete irmãos, dentro do mesmo ambiente, e ainda consegue criar personalidades tão distintas umas das outras. Com Hyacinth não é diferente, é especial, como os outros. Ela é audaciosa, sarcástica, perspicaz e um desafio para qualquer homem, mas apenas um terá coragem de aceitar este desafio. Gareth... Tão lindo... Como eu queria tê-lo colocado no colo e feito esquecer suas dores. Só mesmo uma mulher forte e naturalmente desafiadora poderia tirá-lo de sua zona de conforto e leva-lo à loucura... do amor. Um mais lindo do que o outro.

Quinn Julia. Um beijo inesquecível. Rio de Janeiro: Arqueiro, 2016.

Read more...

Encontrando-me - Cora Carmack

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

A maioria das garotas mataria para passar meses viajando pela Europa após a formatura da faculdade, sem responsabilidade, sem os pais e sem limite nos cartões de crédito. Kelsey Summers não é exceção. Ela está tendo o momento de sua vida... ou isso é o que ela continua dizendo a si mesma. É um negócio solitário, pois está tentando descobrir quem ela é, especialmente porque está com medo de não gostar do que pode encontrar. Nenhuma quantidade de bebida ou dança pode afugentar a solidão de Kelsey, mas talvez Jackson Hunt possa. Depois de alguns encontros casuais, ele a convence a fazer uma viagem de aventura ao invés de ficar bebendo. A cada nova cidade e experiencia, a mente de Kelsey se torna um pouco mais clara, e seu coração menos. Hunt ajuda a desvendar seus próprios sonhos e desejos, mas quanto mais ela conhece sobre si mesma, mais percebe o quão pouco ela sabe sobre ele.
Kelsey Summers sempre passou para as pessoas uma imagem de rica e desmiolada. Principalmente quando saiu viajando sem rumo pela Europa após a formatura. Ela entrava e saia de cada país em busca de algo que a preenchesse. Não eram apenas seus caprichos de jovem menina rica, mas buscava por algo muito mais profundo e que ninguém jamais imaginou. Sua alma era invadida por uma angústia sem tamanho devido à frieza e desinteresse dos próprios pais. E por isso ela se permitia viajar usando o dinheiro do pai, ao mesmo tempo em que optava por albergues como forma de atingi-lo. Para ela era cômodo deixar que as pessoas pensassem o que bem entendessem desde que não tentassem descobrir o que realmente se passava por baixo daquela carapaça. E nesta busca incessante por encontrar a si mesma, ela se entregava aos prazeres carnais, se entregando a qualquer homem que lhe interessasse, em uma rotatividade impressionante. Em um destes passeios, em uma boate em Budapeste, ela conhece Hunt. Um moreno lindo e atraente que a salva de um inconveniente. Ela logo se interessa por ele, mas ele acaba deixando bem claro não se interessar em atender aos seus caprichos. Irada pela rejeição, ela o despacha, mas no final das contas, novamente é socorrida por Hunt, e levada para o Albergue. Kelsey fica realmente mexida por aquele misterioso homem, que a cobre de atenção e cuidados, mas que deixa bem claro não se interessar em um envolvimento. Contrariada, Kelsey e Hunt acabam por firmar um acordo, onde ele lhe garante uma semana para que juntos viva uma grande aventura para serem lembrados, eles só não imaginam que as lembranças conquistadas ficaram marcadas de forma irreversível.
- Vou beijá-la, princesa. Mas não agora, não com você me mandando. Não até que isso seja apenas uma coisa que você queria eliminar da sua lista. Vou beijar você quando isso for importante. (Pág.131)

Este é o terceiro livro da série e conta a história de Kelsey, amiga de Bliss, do livro Perdendo-me. Eu estava meio desanimada com o livro devido à resenha pouco animadora, mas ainda disposta a concluir a série. O bom foi que por estar com a expectativa baixa, o livro me surpreendeu bem. Eu tive muita empatia com as angústias de Kelsey. Ela vive uma vida completamente vazia, sem que nada que fizesse a realizasse. Ela vivia se martirizando com lembranças amargas de sua infância e longe de esquecê-las e apenas recomeçando, é que seria possível deixar o passado no passado. Eu gostei da trama e recomendo.

Carmack, Cora. Encontrando-me. Ribeirão Preto, SP. Novo Conceito Editora, 2015.

Read more...

Top filme #42

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Os filmes são uma história a parte para se contas. Eu não tenho muita regularidade de assistir um filme integralmente e de vez em quando sento para ver um completo. Na verdade pretendo mudar este comportamento e dar uma diversificada nos meus passa tempos. Porém, um hábito que tenho, é de rever alguns pedaços de filmes favoritos quando estou zapeando na TV a cabo, e sempre tem aquele filme de que gostei muito e vejo um pedaço para matar a saudade e resolvi mencionar aqui alguns deles. Quero que me contem qual o vício cinéfilo de vocês.

Não é raro eu sempre dar uma parada para rever filmes da minha musa inspiradora Angelina. Adoro tudo o que ela faz.
A viciante franquia Bourne constantemente está reprisando na TV a cabo, e é impossível não parar para dar uma espiadinha. O mesmo acontece com os filmes da franquia Onze homens e um segredo.

E é claro os queridinhos... 




Prometo que irei assistir muito mais filmes este ano e vou contando tudo!

Beijos!

Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Bom dia!!!!

Estou de volta depois de uma semana de folga, afinal eu também sou filha de Deus e estava merecendo um descanso. Como eu nunca consigo tirar os vinte dias de férias diretos, eu sempre deixo um saldo para a época do carnaval. É, eu sei que fico no prejuízo, mas prefiro viajar antes da correria e voltar depois com calma, sem atropelos. E esta também é uma época boa porque antecede os quatro meses de desespero que sempre acontece na vida de todos os contadores, e ajuda a dar uma energia a mais para aguentar o tranco. É claro que optei por iniciar minhas férias no dia do meu aniversário!!!!

Acho que vou querer fazer isto para o resto da minha vida. Todos merecem tirar folga do trabalho no dia do aniversário. Podia virar lei!!!!
Como já tinha adiantado, eu estava organizando uma comemoração meio na surdina. Todo mundo sabe que fazer uma comemoração, por menor que seja, tem aquele melindre do "não me convidou". Paciência... Vai pensando em quantas vezes você esteve disponível... Então, é o mesmo peso!
E como para mim, era uma data muito expressiva e especial, quis comigo as pessoas mais queridas. Perdi noites de sono. Muitas andanças e pesquisas para descobrir as pessoas corretas que fizessem os petiscos e doces. Daí era calcular quanto precisava comprar, só que eu ainda não tinha definido todas as pessoas que eu gostaria que estivessem presentes... E a decoração???? Só que eu voltei na loja pra devolver matéria prima e comprar coisas diferentes, foram três vezes. Pesquisas de ideias na internet? Um milhão. 
Enfim, chegou o grande dia!
Meus horários rigorosamente cronometrados e é claro que alguém tinha que fazer merda e me atrasar. Daí por diante, foi só correria!!! Mal tive tempo de responder as congratulações. Me desculpe se esqueci de alguém, não foi proposital. Mas no final das contas, foi sensacional!!!! Foi um super aniversário. Só alegrias e boa lembranças. Que o diga as chocólatras, não é mesmo Fernanda? Estou extasiada até hoje, e já pensando no próximo ano, que acontecerá em um sábado e pretendo programar com um pouco mais de antecedência do que os 21 dias com que fiz este. 



Read more...

Happy Birthday

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Oi Gente!!!

Hoje a postagem é um pouco diferente...

Eu me chamo Carolina, sou a SOBRINHA PREFERIDA, e afilhada da Márcia. 
Mas enfim... Como vocês já devem saber, hoje é aniversário da minha madrinha, daí eu pensei em pedir ela pra escrever no blog, e aqui estou eu.

Primeiro que vocês precisavam ver como minha madrinha ficou esses dias com os preparativos da festa, tava parecendo aquelas meninas que vão fazer 15 anos, toda empolgada.

Agora vamos as felicitações à aniversariante...

Queria dizer que pra mim ela é muito mais do que uma tia e uma madrinha, ela é como uma mãe pra mim, sempre foi assim. Se eu tivesse a oportunidade de escolher outra madrinha, eu ainda escolheria ela, ela é dona de uma bondade imensa, um coração do tamanho do mundo, faz de tudo por mim sempre, me bajula de todas as formas, e sou muito grata á ela por tudo isso.
Nesse dia tão especial eu desejo tudo de melhor na vida dela, muita saúde, paz, amor, e sucesso. Que ela continue sempre essa pessoa incrível, amável, a melhor madrinha que existe no mundo. Eu Te Amo Muito Madrinha, do fundo da minha alma. Feliz Aniversário !!!



Read more...

O último dos canalhas - Loretta Chase

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela. Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça. Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insensatos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais. Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a derrota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atração que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.
Vere Mallory era uma canalha de sangue, corpo e alma. Ele nunca se importou com nada, levando uma vida na fanfarra, mulheres e bebedeiras. Ele não tinha compromissos com títulos de nobreza, súditos, dependentes, nada. Até que, como já vinha acontecendo com frequência nos últimos dez anos, ele se vê obrigada a assumir uma responsabilidade inesperada. Ainda assim, ele não se deixou abater pelas responsabilidades impostas pelo ducado que recebeu, nem mesmo pelas tuteladas. Sua vida era simplesmente viver de bordel em bordel até ao amanhecer quando retornava para casa, trôpego de tão bêbado. Um desgosto até mesmo para seu secretário, que o repreendia como a uma criança, e ele fazia ouvidos mouros. Mas quando ele conheceu a jornalista e escrevinhadora Lydia Grenville, não houve faíscas... Houve foram jatos de larva incandescente, e olha que neste primeiro encontro, só rolou tapas e farpas, de ambos os lados. Lydia era uma mulher totalmente fora dos padrões de comportamento para uma mulher de seu tempo. Criada por tios, ela esconde um passado sofrido. Aprendeu a viver a vida com coragem, lutando contra as injustiças, denunciando maltrato e a violência imposta às jovens que chegam perdidas à cidade. Ela não teme as retaliações que possa sofrer ao se disfarçar de todos os tipos possíveis para se infiltrar nos ambientes mais sórdidos e busca da verdade. Mas o seu mundo saiu de prumo quando ela um dia trombou com o Vere, rei da esbornia. Principalmente quando ele ousou beijá-la.
Essa era a incongruência mais louca: conectar a palavra timidez com uma mulher que dirigia uma carruagem loucamente pelas ruas de Londres, como se estivesse no Coliseu e fosse a condutora campeã de bigas. Tímida aquela mulher que escalava casas, saltava em cima de um homem num beco escuro brandindo a bengala com a precisão e a força de um atleta profissional.
Tímida, ela.
Virgem, ela.
Isso era ridículo, insano. (Pág.115)
Este romance tem a dose certa de humor e romance. O casal vive em disputa acirrada por qualquer assunto que os cerque. Tudo é motivo de rixa, discussões e um hilário acerto de contas. Lydia não leva desaforo para casa, e com Vere, sempre há uma disputa para saber de quem será a última palavra. Vere era um fanfarrão, mas tinha sua dose de generosidade que fazia questão de esconder. Para ele, o melhor era que todos acreditassem que ele não passava de um duque irresponsável. Mas Lydia não se deixa enganar, e fica cada vez mais curiosa sobre os motivos que o fazem esconder um coração puro e amoroso. Um lindo romance que adorei ler e reencontrar o doce Belzebu e sua Jéssica. 


Chase, Loretta. O último dos canalhas. São Paulo: Arqueiro, 2015.

Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Bom dia turma!!!

Primeira semana de fevereiro e... meu aniversário. Fico um ano mais velha, mas como eu acredito ser igual wisky, cada vez melhor. Esta é a alegria da vida. Antes mais um ano, do que não completar, não é mesmo? Como esta é uma data especial e uma idade especial, as comemorações serão especiais também. A começar quando eu começo a onda de "presenteie a si mesmo". Fico pior do que a Becky Bloom, eu só não dou cano no cartão viu gente. Pelamor!!!!!


Agora estou às voltas com montagem de decoração, mil mudanças de ideia, assistir tutoriais para aprender a fazer arco de balão. Por aí vai. Eu sei que mandar fazer é mais fácil. O problema é que a organizadora de festas está de férias e não sei se volta a tempo. Como a ansiedade impera, para não arriscar, mandei Carolina aprender a fazer o tal. Vamos ver no que vai dar. O máximo que pode acontecer é não ficar esplendoroso igual da organizadora, mas com certeza terei economizado uns bons R$ 100,00. O que está acabando comigo mesmo é a insônia causada pela ansiedade. Essa sim, está me matando. Teve um dia desta semana que acordei não eram 4:00. Meudeus!!!
Voltei pra cama, rezei, fiz exercícios de respiração, mantras, meditação... tudo pura tentativa em vão. O cérebro insistia em pensar nos milhões de coisas que desejo fazer.
Trabalhei no dia seguinte igual zumbi. Não tem coisa pior do que insônia.
Mas é muito gostoso você ter um projeto. Eu adoro projetos. Eu sempre tenho que estar inventando alguma coisa, fazendo programações... Não sou minuciosa tanto quanto deveria, mas curto cada segundo. Vamos ver como transcorre o resto da semana, e seja o que Deus quiser!

Beijos!!!

Read more...

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados