Momento música #194

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Dizem que recordar é viver, e eu adoro música velha. Para mim são as melhores, mesmo que hoje surja muitas músicas boas, as velhas continham batendo um bolão. Depois que eu vi esta música em um comercial de cerveja, ficou louca pra descobrir que música era... E claro que é uma velhinha das boas! E achei várias versões comprovando isso.

Houlding out for a hero - Bonnie Tyler


Houlding out for a hero - Glee


Houlding out for a hero - Ella Mae Bowen



Read more...

Os delírios de consumo de Becky Bloom - Sophie Kinsella

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Rebecca Bloom é uma jovem londrina com o péssimo hábito do consumismo compulsivo. Apesar de ser uma jornalista especializada em mercado financeiro, não consegue controlar as finanças pessoais. Endividada até a alma, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito. E ainda encontra tempo para se apaixonar. Um romance muito divertido que faz um retrato de muitas mulheres das grandes cidades.
Rebeca Bloom é uma jornalista que escreve matérias para uma revista especializada em economia. Por consequência de sua profissão, todos a tomavam por uma grande conhecedora em matéria de economia, mas o que ninguém sonhava era que Becky era uma tremenda consumista de mão cheia. A criatura não tem medidas, não tem freio. Quanto mais ela gasta, mais enrolada ela fica, os credores correndo atrás e ela se escondendo, e mais ela gastava por causa do estresse. Jura!!??? Ela gastava para curar o estresse que o hábito de gastar provocava, em virtude das cartas de cobrança que recebia. Veja se tem lógica!!!
Enfim. Ela vivia sua rotina de trabalhar para a revista de economia, com matérias específicas, que não exigia nenhum esforço cerebral, e vivia acomodada com sua vidinha fútil. Gastando mais do que ganhava, se aproveitando das oportunidades que lhe caiam no colo. Sim. Porque ela adorava participar de workshops de produtos financeiros, pois sempre serviam drinks sofisticados para se esbaldar. Nestes encontros, ela procurava se sentar aos fundos dos salões, e fazia tudo, menos prestar atenção no que era falado no evento. A Becky era um engodo completo, no sentido mais amplo da palavra. Mentia descaradamente, sem nem mudar de cor, sem piscar um olho de culpa ou remorso. Sua vida sentimental era um fiasco. Ela morava com uma amiga pagando uma ninharia de aluguel, já que a amiga era a dona do apartamento, e mesmo assim, não conseguia cumprir os compromissos de gastos domésticos e impostos de moradia. O coitado do gerente do banco não sabia mais o que fazer pra marcar um horário com ela e negociar a dívida de sua conta. Muito pelo contrário, ela continua soltando cheques como se não houvesse amanhã. Ela até almejava melhor condição financeira, mas não de uma forma muito elegante. E quando se imaginava sem preocupações com o dinheiro, ao invés de pensar em pagar as dívidas, ela só almejava comprar mais e mais. Definitivamente, ela não batia bem da cabeça. Até pra tentar curar sua compulsão, ela arranja desculpa pra comprar. Ela comprou um livro de autoajuda, que orientava a não comer na rua, pra levar as refeições de casa. Ela comprou uma garrafa de café. O livro sugere que faça um jantar em casa em um sábado à noite, e ela inventou um prato indiano que precisava de mil parafernálias para cozinhar, que se ela tivesse ido jantar em um restaurante, tinha ficado mais barato. Era sem solução mesmo.
Para falar a verdade, não consigo realmente me concentrar no trabalho. Acho que estou extasiada demais com a pureza do meu novo eu. Fico tentando imaginar quanto terei economizado até o fim do mês e o que poderei comprar na Jigsaw. (Pág.100)

As chocólatras têm razão. A Becky é uma doce doidivanas. Juro que no meio da leitura eu parei e fui somar minha próxima fatura do cartão de crédito. Gente! O que esta mulher tem na cabeça, na alma e no coração? Ela é louca de pedra. Confesso que eu adoro comprar, mas eu tenho limites. A Becky não. Ela não pensa!!! Ela simplesmente compra pelo mero prazer de estar adquirindo a coisa, ainda que não tenha utilidade. Ela chega ao absurdo de fazer compras de presentes de natal... Em março. Mas com certeza é Sophie Kinsella, é garantia de risadas, leitura deliciosa e divertida.

Kinsella, Sophie. Os delírios de consumo de Becky Bloom. 

Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016


Bom dia!!!

E sim!!! chegamos à última semana do primeiro mês de 2016. Quem aí está com a sensação de que piscou e o tempo passou?

Pois é! Eu também. O pior é que o ano nem bem começou e já estou com a sensação de quem trabalhou doze meses sem parar. Estas duas semanas foi o ó do borogodó. Também. Quem mandou ser boazinha demais e dar férias para colaborador, contrariando a não aprovação do chefe. Toma distraída!


E o pior que, quando mais cansada fico, menos eu durmo, mais irritada eu fico, e mais cansada também. Efeito rebote, mas ainda hei de ficar rica... Haja coração pra aguentar tantas emoções, tanto estresse. Para minha sorte, minha pressão normal é baixa. 11/7 ou 12/8. Seria muito azar, ser tão ansiosa e estressada e ainda ter a pressão alta. Ia viver correndo para o hospital. Mas tudo bem. Tem muita coisa legal para compensar, e vou deixar que elas pesem mais do que as coisas chatas.
Como por exemplo....
Livros!!!
Semana passada chegou mais dois queridinhos de parceria com a Arqueiro. Leituras garantidas de serem ótimas... 
  • Um beijo inesquecível - Os Bridgerton, nº... (Deixa pra lá) É a história da atrevida Hyacinth
  • O que há de estranho em mim, da Gayle Forman. Esta mulher tem um dom de escrever que é incrível. Não sei explicar bem. Mas é como se doesse em você. 
Eu ainda não consegui recuperar o ritmo da leitura, devo fechar o mês em quatro, mas estou respeitando o meu ritmo pra curtir os livros. E também porque este fim de semana fiquei envolvida com a organização de um aniversário, e meu tempo foi preenchido só com andanças, além 

é claro de duas horas mofando na sala de repouso do laboratório para exames. Mas enfim, isso é assunto para outro dia. Eu estou lendo ainda O último dos canalhas, e gostando. 
Curtam a semana, porque janeiro, já se foi, fevereiro, mesmo com 29 dias, vai passar mais rápido ainda.

Beijos!

Read more...

Pausa - Colleen Hoover

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Destinados um ao outro, Layken e Will superaram os obstáculos que ameaçavam seu amor. Mas estão prestes a aprender, no entanto, que aquilo que os uniu pode se transformar, justamente, na razão de sua separação. O amor pode não ser o bastante. Depois de testado por tragédias, proibições e desencontros, o relacionamento de Layken e Will enfrenta novos desafios. Talvez a poesia desse casal acabe num verão solitário... Sem direito a rimas ou ritmo. A ex-namorada de Will retorna arrependida de ter deixado o rapaz. E está disposta a tudo para reconquistá-lo. Insegura, Layken começa a ler novas reações no comportamento do rapaz. E na insistência para adiar a "primeira vez" de ambos. Presos em uma ironia cruel do destino, eles precisam descobrir se o que sentem é verdadeiro ou fruto da extraordinária situação que os uniu. Será que é amor? Ou apenas compaixão? Layken passa a questionar a base de seu relacionamento com Will. E ele precisa provar seu amor para uma garota que parece não conseguir parar de "esculpir abóboras". Mas quando tudo parece resolvido, o casal se depara com um desafio ainda maior - e que talvez mude não só suas vidas, mas também as vidas de todos que dependem deles.
Cuidado! Spoilers de Métrica.
Um ano já se passou e apesar de todo o sofrimento, Layken e Will estão cada vez mais próximos e agora têm que administrar a rotina imposta pelas circunstâncias. Ambos ainda precisam seguir em frente diante de suas perdas. Will já tem alguma experiência em ser adulto antes do tempo, já que já faz alguns anos que ficou órfão e assumiu a criação de seu irmão mais novo, enquanto que Layken está passando por isso agora, ela acabou de entrar para a universidade, precisa cuidar de seu irmão. São muitas responsabilidades novas e ainda a lembranças de sua mãe. Julia, mãe de Layken fez muita diferença na vida de Will naquele último ano e ele é muito grato, já que ela reconheceu o grande amor entre ele e Layken e foi muito feliz nos conselhos dados aos dois. Will também sofreu muito esta perda, e agora ela deixou para eles um pote cheio de pequenos conselhos dobrados como bilhetinhos, para que eles os abrissem nos momentos de necessidade. Will só não contava com as ironias do destino, quando descobriu em seu primeiro dia de aula que Vaughn, sua ex-namorada que o abandonou no momento mais delicado de sua vida, também estava estudando em sua turma, e resolveu se reaproximar... É óbvio que Layken não ia gostar nada, nada desta história...
Quando Lake chora, fico de coração partido. Mas o fato de as lágrimas serem por minha causa? De minhas ações serem o motivo do seu coração partido? Esse é um sentimento totalmente novo para mim. Um sentimento com o qual não sei lidar. Não sei o que fazer. Não sei o que posso dizer para ela. Se ao menos ela me deixasse explicar. Mas a essa altura isso não ajudaria nada. Ela tem razão. Não me acusou de nada que eu não tivesse feito. Nossa, como precisava do meu pai agora. Preciso tanto dos conselhos dele. (Pág.113)
Layken e Will, amor puro. Simplesmente unanimidade de amor. É aqueles romances que você lê, devora e se apaixona incondicionalmente. A minha sobrinha preguiçosa amou, engatou um livro no outro e fui obrigada a emprestar o terceiro livro ainda lacrado. O que não faço para pegar essa garota pela leitura e trazer de vez para o lado apaixonante dos livros???

Hoover, Colleen. Pausa. Rio de Janeiro: Galera Record, 2013.


Read more...

Magia do sangue - Nora Roberts

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Há muitos anos, Branna O’Dwyer entregou seu amor a Finbar Burke. No entanto, o romance durou pouco. Uma maldição ligada ao sangue de suas famílias os proibiu de ficar juntos. Branna tentou preencher esse vazio com amigos e familiares, mas sabe que, sem Fin, sua vida nunca estará completa. Ele, por sua vez, passou os últimos doze anos viajando pelo mundo, focado exclusivamente no trabalho. Atormentados pela forte atração que nem a distância pôde aplacar, nenhum dos dois acha que um dia se entregará de novo ao amor. Entretanto, em meio às sombras que ameaçam destruir tudo o que eles consideram mais precioso, esse relacionamento sem futuro pode ser também a última esperança que lhes resta.
A primeira Bruxa da noite Sorcha, rogou uma maldição em Cabhan e a todos os seus descendentes, por isso, Finbar Burke sofre com a marca que ele carrega e com a infelicidade de não poder amar a única mulher que ele realmente ama de todo o coração: Branna O’Dwyer. Branna é forte e determinada. Ela é uma dos três da profecia, que irão lutar contra as forças das trevas e principalmente contra Cabhan. Um feiticeiro do mal que há séculos vêm perseguindo os descendentes de Sorcha, a bruxa da noite que ousou rejeitar Cabham e por isso pagou com a vida. Mas antes, ela transferiu aos seus três filhos, todo o seu poder, e assim foram passando ao longo de gerações, sempre três escolhidos. Branna e Fin se entregaram um ao outro na adolescência, mas quando Branna descobriu em Fin a marca da maldição destinada aos descendentes de Cabhan, ela rejeitou o seu amor, assim como os seus sentimentos mais profundos, preferindo sofrer este amor impossível, a desistir de sua missão como Bruxa da Noite. Branna, Connor e Iona formam os Três da profecia, e juntos também formam um círculo muito especial de amigos, irmãos e amores, com Meara, Finbar e Boyle. Cabhan faz várias tentativas, cada dia com um deles, tentando testá-los e enfraquece-los, mas o resultado é que os laços que os unem se tornam cada vez mais forte. Fortes e corajosos, eles temem perder qualquer um do círculo, e fazem desta união a arma mais poderosa que possuem, principalmente quando ela vêm guarnecida pelo amor que os unem. E quando Branna e Finbar precisam estar juntos para combater as trevas, é quando eles precisam lutar contra o sentimento que os domina no coração e na alma, pela atração e pelo amor que os impulsiona para os braços um do outro.
Ninguém poderia dizer que ele tinha desperdiçado sua vida ou suas habilidades – mágicas ou não. Mas nada que havia feito eliminara ao menos uma fração daquele amor. (Pág.49)
Elas sempre deixam as maiores emoções para o final. Saber que Branna e Finbar se torturam pelas suas escolhas, ou falta delas, dói no coração. Estar com o amado todos os dias, sem poder tocá-lo, abraça-lo... Esta é a realidade para estes dois. Para Finbar é pior ainda, porque ele sofre com a rejeição de Branna, sabendo que ela o ama, mas que a maldição que Sorcha jogou em Cabhan viajou gerações, e que Finbar carrega esta marca, mesmo sendo um , guerreiro importante no círculo. O medo de perdê-lo, as incertezas do futuro... Tudo é apenas um catalisador nesta história tão intensa. Ainda não peguei o ritmo de início de ano e demorei um pouco pra ler o livro, mas Nora é sempre Nora. Um final perfeito, para três ótimas histórias de amor e união.

Roberts, Nora. Magia do Sangue: Livro três da trilogia Primos O'Dwyer. São Paulo, Arqueiro: 2015.


Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Bom dia!!!!
Como estou escrevendo este post no domingo, só Deus sabe como vai estar o clima na segunda, mas do jeito que estou vendo daqui da janela, não vai ser outra coisa, senão mais chuva. Melhor mesmo é saber que a natureza ainda segue a ordem natural das coisas, e janeiro é mês de chuva, quer queira, quer não. Depois de quase três anos de chuvas irregulares, crise hídrica, racionamento de água, que a gente faz por consciência ecológica, já que eu gasto menos água, mas a conta chega cobrando faturamento mínimo, ou seja, continuo pagando o mesmo. Mas se eu quiser reclamar do ar que eu pago, não tem pra quem recorrer. Enfim. Sábado e domingo encolhida em casa aproveitando o tempo chuvoso para colocar a leitura em dia, já que sair para olhar e fazer comparação de preços nem pensar. E por coincidência, o livro da vez é Delírios de consumo de Becky Bloom. Eu sou obrigada a falar igual a Tati: véi! Na boa! Essa Becky é muito sem noção!
Não sei se eu ria ou ficava deprimida. Tudo bem! Eu adoro comprar. Mas juro que não estou no cheque especial, nunca ignorei a fatura do cartão e sempre pago integralmente. Me deu trauma. Corri pra somar a fatura do próximo mês. O valor é um mero detalhe. E claro que não tem como não me divertir. Outra coisa que rolou legal é ver TV. Eu fugia de séries. As chocólatras vivem recomendando um milhão e eu sempre dizia. Não assisto nenhuma, porque se começar, não paro mais.
Estou viciada em Blacklist. Aquele Raymond Redington é um sacana que me diverte. Só sei que minha vida nunca mais será a mesma depois de uma SmartTv e do Netflix juntos.

Read more...

Quando Saturno voltar - Laura Conrado

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Conta história envolvente e divertida sobre aceitar mudanças inesperadas e seguir em busca da felicidade. Em seu novo romance, Laura Conrado conta a história de Déborah Zolini, uma jornalista sonhadora e fã de Pablo Neruda que trabalha como assessora de imprensa de um clube de futebol da segunda divisão e namora o médico Sérgio há quatro anos. Ela faz planos de construir uma vida a dois, arrumar um emprego melhor e correr atrás de desejos que ainda não realizou. Só que a vida, ou as estrelas, guardam surpresas para Déborah. Em uma viagem ao Chile, ela encontra uma mulher misteriosa que lhe fala sobre o retorno de Saturno. O planeta, que leva, em média, 29 anos para dar uma volta no sistema solar, voltará à posição em que se encontrava quando a jornalista nasceu. Para quem acredita em astrologia, esse é momento em que as pessoas passam por várias mudanças, que vão prepará-las para encarar o resto de sua vida. Déborah não leva a moça muito a sério, mas pede às estrelas que a ajudem a realizar seus desejos. No entanto, no voo de volta ao Brasil, um encontro inesperado começa a abalar a vida aparentemente certinha da protagonista. Aos poucos, Déborah começa a notar que seu namoro anda meio morno, a falta de reconhecimento no trabalho a incomoda. Ela começa a admitir que não está gostando do rumo que as coisas estão tomando. Será a hora de partir para novos desafios? Trocar aquele relacionamento confortável pelo frio na barriga? Sair de vez da zona de conforto e ver o que acontece?
Déborah é uma jovem que não se deixa desanimar pelas dificuldades. Ela trabalha com assessoria de imprensa de um time da segunda divisão do campeonato mineiro, mas torce ardentemente para outro time. Apesar da idade, ainda mora com os pais, já que seu mísero salário mal dá pra pagar suas contas. Sua vidinha segue o ritmo do comodismo, mesclada com algumas aventuras como sua viagem acompanhando o time ao Chile, alguns drinques nas noitadas enquanto tentar vigiar os jogadores para que eles não arrumem escândalos. Durante uma de suas viagens, ela é abordada pela arrumadeira do hotel em que estava, e ela leu a sorte de Déborah, e revelou que quando uma pessoa nasce Saturno está em uma determinada posição no céu que se repetirá em torno de 28 ou 29 anos depois, e que neste momento, grandes transformações irão acontecer em suas vidas. Descrente, Déborah esnoba o comentário da cigana. Ciumenta e possessiva, ela cola no seu namorado o máximo possível. Sérgio é um residente de medicina, que não faz outra coisa na vida. Caseiro, monótono e apático, Déborah vive aguardando um grande passo, mas só encontra decepção, mas ainda assim, teme o fim daquele relacionamento insosso. Em seu voo de retorno do Chile ela conhece Henrique, um carioca lindo de tirar o fôlego que está de passagem em BH para realização do serviço, e que acaba por abalar as estruturas de nossa heroína. Agora, só basta ela deixar de ser medrosa.
Como não se divertir com a Déborah? Ela é ultra maluque-te. Não é satisfeita com seu namoro insosso, mas por medo do incerto, fica ali alimentando este relacionamento, e vive se derramando pelos homens bonitões que atravessam seu caminho. Por outro lado, ela age como uma conselheira dos jogadores mais jovens do clube que trabalha, foge dos assédios, mas se derrete pelas cantadas. Não engole sapos da esposa egocêntrica do diretor egocêntrico do clube e sua filha mimada, e não aceita desaforo. Divertida e antenada, ela arruma umas enrascadas de dar medo, mas sempre divertidas. Realmente muito divertido.

Conrado, Laura.  Quando Saturno voltar. São Paulo: Globo Livros, 2015.

Read more...

Top filme #41

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Os dinossauros foram extintos após a colisão de um gigantesco asteróide com o planeta Terra. E se este evento não tivesse ocorrido? O filme parte desta premissa para trazer a história de dinossauros que ainda hoje controlam o planeta. E mostra a amizade de Arlo, um dinossauro adolescente, com um jovem menino humano, Spot.

 Esta semana me aventurei ao cinema acompanhando meus sobrinhos de quatro anos e fomos ver esta gracinha. Eu estou abstêmica de cinema e havia um tempão que não ia, e calhou de ir agora e valeu a pena. Levar os meninos para estas novas descobertas é um encanto. O coitado do Arlo realmente é empático com as crianças. Sem contar as tiradas que o medroso dava. Muito legal e puro, ideal mesmo para as crifanças e também para os adultos. Os meninos se entreteram o tempo inteiro, bem concentrados. Só não gostaram dos óculos 3D. O  filme nos faz recordar sentimentos importantes, não é vergonha ter medo, mas temos que enfrentar.

Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016


Bom dia!!!

Dizem que domingo é dia de cinema, outros dizem que não, que domingo é pra descansar. O importante é que se faça o que se tem vontade, e este domingo a vontade da Tia Carla, minha irmã, foi de levar nossos sobrinhos ao cinema pra ver um filme. Eu, que fazia uma década que ia no cinema, topei, além de tirar a poeira, ainda iria passar a tarde com os sobrinhos adorados. É claro que os dois sobrinhos adolescentes caíram fora, afinal sair com as tias é mico. Não tem problema, enquanto os pequeninos fazem questão, a gente aproveita. Primeiro o Enzo não queria ir na cadeirinha porque a tia Márcia sempre deixava ele ir sem a cadeirinha. 

Menino fofoqueiro. Viu o que dá uma inocente carona? Mas a Tia Carla o convenceu de que não podia, só iríamos se fossemos com cadeirinha ou de ônibus, claro que ele não é bobo, topou a cadeirinha na hora. Daí os dois não falavam outra coisa. Compramos as entradas e fomos comprar Bis para a farra ser completa. Na volta, me passa um trenzinho infeliz que os deixa doidos. Pergunto ao maquinista o valor, e jogo os meninos para dentro. Claro que foi Tia Carla quem foi acompanhar a aventura, fiquei esperando. Na chegada do trem, vou eu, toda coruja filmar e fotografar o grande evento, e dou uma topada digna de , vídeo cacetada. Ainda bem que não tinha ninguém filmando. Vou eu, pagar o passeio e descubro que o maquinista tinha dois ovos quentes na boca. Os doisss reais, no momento de pagar virou Doze!!!!! 
Tudo bem!!!! O que são $ 24,00 com as crianças??? Fomos para o cinema, melhor assim. Mas imaginem levar duas crianças de quatro anos, na fase dos "por quês" para ver um filme 3D? Não é fácil! Mas foi melhor do que eu esperava. Eles ficaram quietos, tirando que foi um desperdício absoluto o 3D já que os óculos caiam o tempo todo e nenhum dos dois teve paciência com o coitado. Aliás, não vi quase que criança alguma usando... Mas enfim. Daí o Sr. Enzo começou a sabatina: Cadê o Dinossauro? já vai começar? por quê ele está chorando? Por quê isso? Por quê aquilo?


Enfim, sobrevivemos ao fim do filme... Eles mais do que depressa levantaram para ir embora, mas antes fizeram questão de lembrar: vai ter sorvete, né???
Criança é mesmo uma delícia. Pena que depois crescem e viram aborrecentes... Inteligência nata. Não prometam e nem falem nada que não deva ser repetido, porque eles irão se lembrar quando você menos esperar. Antes assim, não?

Beijos!

Read more...

O plano perfeito - Sidney Sheldon

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016


O Plano Perfeito narra uma história de paixão, poder, traição e desforra envolvendo a publicitária Leslie Stewart e seu companheiro Russel, que a abandonara para se casar às escondidas com a filha de um senador influente do Kentucky, estado pelo qual se candidatou ao governo.
Escrever resenha de um livro que li em outubro não é tarefa fácil, mas irei tentar. Até mesmo porque falar de Sidney Sheldon é chover no molhado. Ele, onde estiver, vai escrever deste jeito lá do outro lado mesmo, por que não tem igual.
-... portanto, se alguém sabe de algum motivo por que este casal não deva ser unido no sagrado matrimônio, que fale agora ou se cale... – ele levantou os olhos e avistou Leslie -... para sempre.
Quase que numa reação involuntária, cabeças se viraram na direção de Leslie. Sussurros se espalharam pela multidão. Muitas pessoas sentiram que estavam prestes a testemunhar uma cena dramática. Uma súbita tensão dominou a igreja.
Leslie Stewart era uma publicitária brilhante, além de uma beleza extraordinária, apesar de  que se achar em desvantagem por causa desta qualidade por nem sempre ter o seu trabalho levado devidamente à sério. Foi através do seu trabalho na agência Bailey & Tomkins que ela conheceu Oliver Russel, um brilhante advogado local e candidato a governador do estado do Kentucky que não tinha mais condição de arcar com sua campanha. Encantada, ela empenha toda a sua energia na campanha, logo estavam namorando e ele a pede em casamento, de uma forma romântica e inesquecível. Leslie só não contava que às vésperas de seu casamento, Oliver iria reatar o seu relacionamento com sua antiga namorada, filha de um senador, e voltar da França casado. Revivendo um trauma de sua infância quando foi abandonada pelo pai, Leslie viu seu mundo ruir, pois Oliver era o grande amor da sua vida. O único homem que ela se permitiu amar de verdade após o seu pai. Após o seu casamento com a filha do senador, a campanha ao governo do Kentucky que se arrastava sofrivelmente toma folego e Oliver é eleito. Leslie então resolve dar inicio aos seus planos de destruir Oliver e para começar, ela se muda para Phoenix e se casa com Henry Chambers, proprietário de um jornal. Oliver e Leslie, ambos ambiciosos e determinados, travam uma escalada ao topo, porém com objetivos distintos: ele de ser o presidente, ela de derrubá-lo.
Incrível como, mesmo após tantos anos sem ler Sidney, após um único livro, é como se nunca houvesse parado. A forma como ele desmembra a vida de cada personagem, expondo a essência de cada um deles de forma rasgadamente crua. Um romance de muita adrenalina e um final chocante e surpreendente.

Sheldon, Sidney. O plano perfeito- 19º edição. Rio de Janeiro; Record, 2011.

Read more...

Amor imortal - Ana Carolina KJ

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Após a morte de seu pai, Anna Bonnier tenta recuperar um pouco de sua felicidade ao viajar para uma estação de esqui com sua melhor amiga, Loreta. Entretanto, o que era para ser um simples passeio, acaba por se tornar um desafio sobrenatural. Anna conhece o enigmático Raziel e percebe uma forte conexão que vai além da realidade, sobretudo quando descobre que o sentimento que tem por ele atravessa os séculos. Aos poucos, a proximidade que constroem juntos traz novos riscos. O relacionamento amoroso que ela sempre desejou pode desaparecer de forma trágica, assim como o homem que abriu seu coração. Passado, presente e futuro caminham juntos nessa emocionante história de amor e sedução, em que a realidade é capaz de alterar, a qualquer momento, o destino de cada um deles.

Anna vive uma vida solitária após a morte de seu pai. Filha única perdeu a mãe ainda criança e foi criada pelo pai, um rico francês amante das artes. Educada para ser uma grande pintora, ela se dedica à pintura surrealista como única razão de seu viver, e estranhamente sua inspiração vem de sonhos que para ela não tem sentido nenhum. Durante uma viagem à Aspen, Anna conhece Raziel, um homem misterioso e envolvente, que abala seus sentidos, quase ao mesmo tempo em que conhece Erick e Marcos, apresentados por Loreta, sua melhor amiga.  Fascinada por Raziel, ela não sente a mesma simpatia por Erick e Marcos, mas aceita calada a pressão de Loreta, porém ela percebe que algumas circunstâncias de perigo têm se repetido e em todas elas ela é salva como por milagre. Anna acaba se entregando ao amor de Raziel, e imediatamente ela começa a desvendar mistérios que a cerca, alguns originados há muitos séculos, em várias vidas passadas.
Há muitos séculos Raziel tem sofrido pelo amor de Anna. Sua sina de amar e perder seu grande amor são um sofrimento interminável, mas sempre que ele tenta evitar que a vingança dos nefilins se concretize, ele não consegue e mais uma vez sofre sua perda e sua solidão através dos séculos. Novamente eles se reencontraram e o amor ganha nova oportunidade, mas novamente os nefilins estão dispostos a tudo, até mesmo travar uma guerra para que eles não fiquem juntos. Para que mais uma vez ele não seja obrigado a assistir a morte de Anna, Raziel irá sacrificar algo muito precioso, e também se afastar de Anna para garantir sua segurança. Mas Anna não se conformará com o desaparecimento de Raziel, principalmente porque Erick e Marcos irão retornar ameaçando Anna, e ela terá que correr em busca de respostas, e receberá auxílios inesperados.
Uma parte de mim estava desconfiada de Raziel, mas não sentia medo dele; pelo contrário, ele parecia confiável e por algum motivo me era familiar. (Pág.83)
Eu adoro romance envolvendo seres imortais. Para mim, a imortalidade não se trata apenas de sobrenatural, eu acredito realmente que esta é a nossa realidade, então eu vejo isso com naturalidade. Este livro é de autor nacional e me surpreendeu pela trama bem amarrada. Anna  vive uma vida solitária, mesmo com a presença constante de sua amiga Loreta. Ela ainda sofre a perda do pai, e se apaixona fácil por Raziel. O romance dos dois é longevo e proibido, já que vive sob constante ameaça, ao mesmo tempo sólido e belo.  O romance me envolveu e li o livro rapidamente. E adoro livros assim, com escrita fluida.

KJ, Ana Carolina. Amor imortal. Ribeirão Preto, SP. Novo Conceito Editora, 2015.

Read more...

Como se apaixonar - Cecelia Ahern

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor. Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo. Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?
Christine é uma jovem mulher que tem uma vida com hábitos bem peculiares. Caçula de três irmãs, ela é a única que não seguiu a carreira das irmãs e do pai, a advocacia. Trabalhando com recolocação profissional, seu maior hobby é bancar a psicóloga, já que sua estante é recheada de livros de auto ajuda. Ela não sabe levar a vida sem um manual de “10 maneiras de se realizar isto”, “20 maneiras de se realizar aquilo”. Sua obsessão por este tipo de leitura chega ao doentio. E depois que ela presencia um suicídio, sua vida vira então de ponta cabeça. Ela começa a colocar todas as suas decisões em uma balança e resolve passar o pente fino em tudo, a começar por seu casamento recente. Por causa de sua decisão, seu ex marido que não aceitou a sua decisão, resolve fazer de sua vida um pesadelo, suas economias saem de controle, sua secretária a flagra lendo um manual de como despedir um funcionário e entra em colapso. Tudo tem dado errado para Christine, e ainda pra completar, um dia, passando por uma ponte, ela se depara com Adam. Adam sofreu uma grande desilusão amorosa e está sendo obrigado pelo pai a abandonar a carreira que tanto ama para cuidar dos negócios da família. Dominado pelo desespero, ele decidi tirar a própria vida, porém em seu caminho, eis que surge Christine que acaba por convencê-lo a desistir da ideia, porém, para garantir de que ele não irá tentar novamente, ela se compromete a fazer com que ele reveja seus conceitos, de que a vida vale a pena em todos os sentidos, que todos os problemas têm solução, tudo isto em apenas duas semanas.
É claro que a Christine arruma mais confusão. Pois se tem uma pessoa que atrai encrenca, é ela. Um ex-marido transtornado que liga todos os dias, no mesmo horário para dizer barbaridades e que ainda liga para os melhores amigos e familiares dela para entrega-la em algum comentário que ela tenha feito sobre a pessoa, semeando a discórdia... Os seus clientes que ela meio que adota, em terapias nada ortodoxas... E pra garantir que não irá falhar com Adam, ela começa a leva-lo a tiracolo em todo o canto que vai, despertando mais comentários.
Mas Christine é determinada, não se deixa abalar pelas dificuldades impostas pelas situações, mesmo que em seu percurso comece a despertar um sentimento inesperado por Adam, e ela comece a ter que passar por cima dos seus sentimentos.
Simples assim. Falei. Meu coração estava martelando em meu peito; deve ter sido a primeira vez que disse aquilo para alguém, em voz alta. Por muito tempo eu quisera abandoná-lo, mas não conseguia porque queria ser a esposa leal que mantinha seus votos. Conhecia com exatidão a lealdade de que Adam estava falando. (Pág. 63)
Eu não achei que este livro tinha muito a ver com os demais livros da Cecelia. Christine é meio doidivanas, e arruma mais confusão do que solução. Ela tem seus dramas, mas apesar de ajudar todos ao seu redor, ela oprime seus próprios problemas, escondendo seus sofrimentos. Ela ajuda todo mundo, mas eu a sinto muito abandonada. Suas irmãs e seu pai são mais egocêntricos ainda, e ao invés de ajudar, só criticam. Mesmo assim, ela não desanima, mesmo não seguindo os caminhos convencionais. E no seu percurso de auxiliar Adam, ela não esperava em se apaixonar por ele, e trabalhar para que ele reconquiste seu antigo amor, estando apaixonada por ele, não será tarefa fácil. É claro que Cecelia continua com muita sensibilidade, e sempre vale a pena ler.

Ahern, Cecelia. Como se apaixonar. Ribeirão Preto, SP. Novo Conceito Editora, 2015. 

Read more...

Top filme #40

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Quando fui pesquisar o último filme que assisti, quase caí da cadeira. Eu sabia que não estava muito animada em ficar parada vendo TV, mas não imaginei que já tinha tanto tempo assim. Ao menos em casa. No cinema eu sei que não piso há um bom tempo, mas em casa... Mas bom, determinada a mudar isso, fiz um apanhado e vi que andei fazendo um up-grade. Tinha vários filmes que estavam na lista para assistir e desde dezembro ando trabalhando nisto. Dentre eles Busca Implacável 3,Velozes e furiosos 7 e a saga Jogos Vorazes. Se bem que este último até me arrependi, já que Esperança parte II ainda está em alguns cinemas e não disponível para imediatamente.
Eu sou fã do Liam Neeson, e quem assistiu Busca Implacável 1 e 2, sabem como os filmes são pura adrenalina. O filme 3 já tinha saído há um bom tempo, mas neste ritmo em que eu estava...Assim como Velozes e furiosos. O último filme era o mais esperado, já que marcou como o último filme de Paul Walker, que partiu em um acidente estúpido. Um colega até havia me arrumado o filme já fazia um tempão, mas minha TV era antiga (2011), eu sei, nem tão antiga assim, mas que culpa tenho se a tecnologia se atualiza por segundo? Então, minha TV não lia a extensão do arquivo e ele ficou aqui parado, até que o bichinho do consumismo me fez trocar de TV e agora pretendo assistir tudo e mais um pouco. Jogos vorazes eu ainda não tinha assistido por que a leitura não estava em dia e eu não me permitia ver os filmes antes de ler os livros, enfim. Os demais filmes foram por acaso. Um feliz acaso. Irei listar todos aqui, mas a ordem foi aleatória. Todos os filmes eu recomendo, são interessantes e muito inteligentes dentro de suas características. Espero que gostem!

Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.

Este é o segundo volume da trilogia Jogos Vorazes, baseada nos romances de Suzanne Collins. A saga relata a aventura de Katniss (Jennifer Lawrence), jovem escolhida para participar aos "jogos vorazes", espécie de reality show em que um adolescente de cada distrito de Panem, considerado como "tributo", deve lutar com os demais até que apenas um saia vivo. Neste segundo episódio da série, após a afronta de Katniss à organização dos jogos, ela deverá enfrentar a forte represália do governo local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população de Panem.

Após ser resgatada do Massacre Quaternário pela resistência ao governo tirânico do presidente Snow (Donald Sutherland), Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) está abalada. Temerosa e sem confiança, ela agora vive no Distrito 13 ao lado da mãe (Paula Malcomson) e da irmã, Prim (Willow Shields). A presidente Alma Coin (Julianne Moore) e Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) querem que Katniss assuma o papel do tordo, o símbolo que a resistência precisa para mobilizar a população. Após uma certa relutância, Katniss aceita a proposta desde que a resistência se comprometa a resgatar Peeta Mellark (Josh Hutcherson) e os demais Vitoriosos, mantidos prisioneiros pela Capital.
Daniel Atlas (Jesse Eisenberg) é o carismático líder do grupo de ilusionistas chamado The Four Horsemen. O que poucos sabem é que, enquanto encanta o público com suas mágicas sob o palco, o grupo também rouba bancos em outro continente e ainda por cima distribui a quantia roubada nas contas dos próprios espectadores. Estes crimes fazem com que o agente do FBI Dylan Hobbs (Mark Ruffalo) esteja determinado a capturá-los de qualquer jeito, ainda mais após o grupo anunciar que em breve fará seu assalto mais audacioso. Para tanto ele conta com a ajuda de Alma Vargas (Melanie Laurent), uma detetive da Interpol, e também de Thaddeus Bradley (Morgan Freeman), um veterano desmistificador de mágicos que insiste que os assaltos são realizados a partir de disfarces e jogos envolvendo vídeos.

Após cair em desgraça em Los Angeles devido a uma operação fracassada, Ray Owens (Arnold Schwarzenegger) parte para o interior e assume a posição de xerife em uma pequena cidade na fronteira dos Estados Unidos com o México. O que ele não esperava era que um poderoso chefão das drogas, que escapou recentemente da prisão, quisesse cruzar a fronteira exatamente na cidade onde trabalha. Para enfrentá-lo Ray precisa reunir todo o pessoal que tem à disposição
Quando uma forte tempestade chega a Kansas, uma menina chamada DG (Zooey Deschanel) é transportada para um lugar mágico chamado de OZ. Assim que chega, é aprisionada por ser confundida com uma espiã. Lá, ela conhece Glitch (Alan Cumming), que sofreu nas mãos da feiticeira Azkadellia, e logo os dois se tornam grandes amigos e fazem uma viagem em busca dos pais de DG que também se perderam na tempestade. Além dele, DG também conhece Cain (Neal McDonough), um homem que estava preso em uma armadura de lata e que é um ex-policial que estava em busca de respostas. Juntos, eles partem em uma aventura por Oz, e tentam desvendar todas as dúvidas. 
Nova York. Matt Scudder (Liam Neeson) é um ex-policial que agora trabalha como investigador privado, muitas vezes agindo fora da lei. Com uma certa relutância, ele aceita ajudar um traficante de drogas (Dan Stevens) que está atrás do homem que sequestrou e matou sua esposa. Não demora muito para que Matt descubra que o procurado já havia cometido este tipo de crime.

Após os acontecimentos em Londres, Dom (Vin Diesel), Brian (Paul Walker), Letty (Michelle Rodriguez) e o resto da equipe tiveram a chance de voltar para os Estados Unidos e recomeçarem suas vidas. Mas a tranquilidade do grupo é destruída quando Deckard Shaw (Jason Statham), um assassino profissional, quer vingança pela morte de seu irmão. Agora, a equipe tem que se reunir para impedir este novo vilão. Mas dessa vez, não é só sobre ser veloz. A luta é pela sobrevivência.

O ex-agente do governo norte-americano Bryan Mills (Liam Neeson) tenta tornar-se um homem família, mas vê tudo ruir quando Lenore (Famke Janssen) é assassinada. Acusado de ter cometido o crime, ele entra na mira da polícia de Los Angeles. Desolado e caçado, ele tenta encontrar os verdadeiros culpados e proteger a única coisa que lhe resta: a filha Kim (Maggie Grace).
Todas as sinopses são do http://www.adorocinema.com/ 


Read more...

Novidades & blá blá blá

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016


Bom dia e feliz ano novo para todos!!!!

Quero começar este post de forma diferente. Na verdade em 2016 quero dar umas remexidas no blog e sair do roteiro, criar coisas novas na medida do possível. E a primeira delas seria uma postagem diferente para a segunda feira, tipo um diário, ou semanário, ou bate papo... Não sei que nome dar. O que me sugerem? Diário da semana? Bate papo? ou o título deste post mesmo: Novidades e blá blá blá? Quem sabe assim, possamos criar uma ponte de interação?
Neste post eu quero falar sobre tudo do quotidiano, deixar de fazer algo tão engessado. Acho que fica mais fácil falar. Li tanto que não adianta esperar um 2016 diferente se não fizermos diferente, então, vou começar por aqui. Cheguei a pensar até mesmo em encerrar o blog. Sei lá, sem inspiração, sem motivação. Tudo muito, mais do mesmo. Até minhas leituras em 2015 foram bem menos do que em 2014. Admiro mesmo quem posta que leu 100, 200 até 300 livros no ano, mas comigo não iria funcionar. Andei até lendo textos de como ler mais rápido, mas não dá. Pelo que li, é exatamente o que já faço. Na minha opinião, a questão é exatamente o grau de envolvimento que a leitura te traz, os momentos que eu estou passando na minha vida... São muitos fatores externos e ler como se fosse uma máquina não é o meu objetivo. Não é por este motivo que considero a leitura uma paixão, mas sim pelo grau de emoções e sentimentos que ela me desperta. Se for o caso, posso até mesmo encerrar as parcerias, mas não deixar a leitura, ou mesmo de postar aqui. Quero usar este espaço também para falar de várias outras coisas que têm sido grandes descobertas para mim, e acredito que, assim como foi para mim, outras pessoas ainda não conheçam. Então? Me digam o que acham.

Read more...

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados