Eu estive aqui - Gayle Forman

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Eu Estive Aqui - Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal? A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.
Quando Cody recebeu o e-mail de suicídio de Meg, sua melhor amiga, ela achou que se tratava de uma brincadeira de mau gosto. Agora, após tantas cerimônias fúnebres, ela sabe que é tudo verdade. Sua melhor amiga, que cresceram juntas como irmãs, havia se matado sem dar nenhum sinal de que não estava bem. Cody começa a se questionar se ela realmente conhecia Meg tão profundamente quanto imaginava, ela já não tinha certeza de mais nada. Cody foi praticamente criada por Joe e Sue, pais de Meg. Elas eram chamadas de unha e carne, de tão unidas que eram acostumadas a fazer tudo juntas, ir a todos os lugares... Mas tudo mudou quando Meg ganhou uma bolsa e foi para uma universidade em Tacoma e Cody ficou para trás. Ao contrário de Meg, Cody foi criada pela mãe que sempre deixou evidente a total ausência de senso maternal e sem conhecer o pai. Cody sentiu inveja da amiga, por ela ter conseguido sair daquela minúscula cidade em que morava e por ela não ter condições financeiras, ela ficou para cursar uma universidade comunitária e trabalhar fazendo faxinas. Agora Meg se foi e Cody não se conforma, se culpando por seu afastamento e egoísmo. Quando Cody viaja a Tacoma, a pedido dos pais de Meg, para buscar suas coisas, ela aos poucos começa a descobrir um lado sombrio da amiga e que não conhecia. Mexendo no laptop de Meg, ela passa a descobrir o posso de angústia e amargura em que sua amiga vivia mergulhada e também um arquivo criptografado que, com a ajuda de Henry ela consegue descobrir o quanto as pessoas podem ser cruéis umas com as outras.
Não sei o que seria pior. Se eu tivesse sabido e não contado a eles. Ou a verdade, que é a seguinte: embora Meg fosse minha melhor amiga e eu tivesse contado tudo o que havia para contar ao meu respeito, supondo que ela tivesse feito o mesmo, eu não sabia. Não fazia a menor ideia. (Pág. 13)
Um livro que te prende e te arrasta para o fundo... que não tem fim. Uma sacudida forte e violenta que te tira o ar. Foi assim que me senti nas páginas deste livro. Tomar conhecimento do quanto somos arrogantes quando acreditamos que conhecemos uma pessoa profundamente, quando na verdade só conhecemos aquilo que elas permitem que conheçamos, assim como nós somente revelamos aquilo que queremos. Cody sofre por saber que não conhecia sua melhor amiga como ela imaginava e que não pode fazer nada para impedir uma decisão tão drástica. Ela passa a buscar respostas, de onde falhou e como consertar... Mas tem coisas que não tem conserto e daí é que o sofrimento derrama por todos orifícios. Um livro marcante, forte e emocionante. Recomendo muito.  

Forman, Gayle. Eu estive aqui. São Paulo: Arqueiro, 2015



2 Comentários:

thaila oliveira 4 de agosto de 2015 13:39  

eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
a autora tem o poder de tratar de questões tão forte com um jeito singelo, ao mesmo tempo que trabalha sentimentos em seus personagens, desperta reações no leitor!
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

Fernanda Assis 5 de agosto de 2015 20:08  

Oi Márcia,

Eu gosto muito da autora, mas esse você gostou mais do que eu. Eu gostei demais, mas faltou algo para eu amar, não me conformei com a amiga não perceber nada na adolescência, elas sendo melhores amigas e tudo.
bjs

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados