Mar da tranquilidade - Katja Millay

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Mar da Tranquilidade - Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer. Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.
O sonho de Nastya aos quinze anos era ser uma grande pianista, agora aos dezoito anos, é encontrar com o homem que a matou três anos atrás. Sua vida mudou drasticamente de rumo, em uma ensolarada tarde e ela nunca mais poderá retomar seus sonhos de antes. Agora ela se mudou para uma nova cidade para morar com sua tia e deixar o passado enterrado. Ela deseja recomeçar longe de tudo e de todos que insistem em lembrá-la da garota pianista de antigamente. Ela só quer esquecer e não quer ninguém a lembrando. Ela está retomando sua vida agora, após um longo período de internações, cirurgias, terapias e por mais que seus pais tenham se tornado super protetores, tudo o que ela não quer é alguém de cima perguntando o tempo todo sobre como se sente. Ela pretende concluir o ensino médio e mais nada. Ela não deseja fazer amigos e para isto se veste da forma mais agressiva possível, para causar repulsa nas pessoas e desta forma afastar qualquer um que pense e sequer se aproximar. Mesmo sabendo que sua condição de não falar, seja um atrativo suficiente para despertar todos os curiosos de plantão. Na aula de marcenaria ela conhece Josh, um garoto que, assim como ela não se interessa pelos grupinhos de alunos com vaidades infladas. Ele perdeu a mãe e a irmã quando tinha oito anos de idade em um trágico acidente. Em virtude desta perda, ele e o pai foram recompensados financeiramente de forma a ficarem ricos, mas incapazes de serem felizes novamente. Seu pai acabou por definhar até a morte, e hoje Josh é praticamente só no mundo, exceto pelo seu melhor amigo e sua família. Josh fazia questão de se manter afastado de todos e não fazia questão das amizades. Sua terapia e grande paixão era fazer móveis em sua marcenaria. Dentro das manias que Nastya passou a cultivar após a tragédia estava correr. Ela corria exaustivamente, até não lhe restar ar nos pulmões, até que seu estômago se contorcesse de cansaço, e sempre muito tarde da noite. Em uma destas corridas, ela acaba indo parar na frente da casa de Josh que a reconhece e se oferece em levá-la para casa. A partir deste dia então, ela sempre aparecia na oficina de Josh e ficava por horas olhando ele trabalhar, e nesta rotina acabou-se criando uma cumplicidade muda entre eles. Josh se surpreendia a cada dia mais com as manias de Nastya. Um dia ela chegava abarrotada de potes de sorvete para abastecer a geladeira, em outro, passava o dia na cozinha assando cookies, como se o mundo estivesse à beira do fim. Josh e Nastya se sentiam confortáveis com a situação, porque a presença um do outro lhes transmitia um companheirismo sem cobranças e questionamentos que ambos detestavam e por isso lhes era agradável, mesmo que este conforto estivesse se estendendo para algo muito mais importante, que poderá uni-los ou afastá-los em definitivo.
As pessoas normais tinham amigos, eu tinha a música. Não estava perdendo nada.
Hoje em dia sinto saudade de tudo. Sou assombrada pela música – que posso ouvir, mas não tocar. Há melodias que me atormentam nota a nota, zombando de mim pelo simples fato de existirem.
Há muito tempo não pegava uma leitura que me despertassem os sentimentos que este livro me despertou. Saber que um sonho foi destruído dói demais, e para uma garota talentosa como Nastya é simplesmente insuportável. É ver a doçura inflamada pela amargura, pelo ódio que cega e que ao mesmo tempo a impulsiona. A dor que ela carrega é uma dor pra vida inteira, mas somente um novo amor para fazê-la esquecer sua perda e se permitir ser feliz. Uma linda história de dor e superação, que me emocionou e recomendo. Se você leu, me conte o que achou, se não leu, vale a pena ler.

Millay, Katja. Mar da tranquilidade. São Paulo, Arqueiro: 2014.



Read more...

Predestinadas - Jessica Spotswood

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Cate Cahill acabou de ser apagada da memória de Finn, o grande amor de sua vida. A responsável por essa traição foi Maura, uma de suas irmãs, e Cate está certa de que nunca vai conseguir perdoá-la. Enquanto isso, Tess, a caçula, está às voltas com visões cada vez mais assustadoras.Como se não bastasse, a Nova Inglaterra vem sendo tomada por uma febre mortal sem precedentes. Preocupada, Cate quer ajudar a todos, mas é impossível fazer isso sem revelar seus poderes e, assim, aumentar a fúria dos Irmãos da Fraternidade, os implacáveis caçadores de bruxas.Em meio a desavenças com suas aliadas em potencial, Cate terá que se desdobrar para conseguir prestar o auxílio que deseja, proteger Tess e Finn e lutar por uma nova ordem que permita que as bruxas sejam representadas no governo de sua cidade e não precisem mais se esconder.Predestinadas é o desfecho de uma saga permeada de delicadeza, cores, magia e fortes emoções. As irmãs Cahill terão que enfrentar os maiores desafios de sua vida, e o amor que sentem uma pela outra será fundamental nessa jornada.
Cate carrega consigo uma grande responsabilidade. Desde que a mãe morreu, ela prometeu cuidar para que nada acontecesse com as irmãs, mas cumprir esta promessa se tornou uma provação maior do que imaginava. Maura está totalmente envolvida pela má influência da Irmã Inez. Agora que Irmã Cora morreu, Irmã Inez irá se apossar de seu cargo e sua ambição não poderá mais ser contida. Maura não mede esforço para agradar a nova diretora da irmandade, mesmo que para isso ela prejudique as próprias irmãs. A profecia foi bem clara quando disse que uma irmã mataria a outra, e Cate teme que seja ela a cometer tamanha atrocidade, já que ela não consegue esconder o ressentimento por Maura tê-la apagado da memória de Finn, seu grande amor. o cerco em torno das bruxas te se fechado e está cada vez mais perigoso, mas é preciso manter todas as garotas em segurança. E para completar, uma epidemia mortal está assolando a cidade, mas os Irmãos do conselho tem se mantido omissos, atribuindo a doença às bruxas. Com isto, a perseguição tem se tornado cada vez mais intensa, e Cate tem que se desdobrar para que Irmã Inez não consiga alcançar seus objetivos de governar a Nova Inglaterra, e não permitir que o conselho persiga e execute as bruxas que são a parte inocente nesta trama. Cate nem sonha em tentar reconquistar o amor de Finn, pois Maura têm demonstrado uma determinação ferrenha em não permitir que Cate seja feliz, e ela ainda tem que apoiar Tess, desde que sua irmã caçula foi reconhecida como o oráculo, a bruxa mais poderosa que irá mudar o destino de todos, sua batalha tem sido incansável, mas ela irá persistir e lutar contra todos.
Tenho pouca fé na Fraternidade no momento, mas preciso acreditar que a maior parte dos homens não iria votar para atear fogo em mim se soubesse o que sou capaz de fazer. Uma coisa é trancar uma garota em Harwood pelo resto da vida; outra bem diferente é queimá-la na fogueira. (Pág.30)
Este é o ultimo livro da série As crônicas das irmãs bruxas III, e tenho certeza que acabou na hora certa, antes de descambar para a embromação. Cate teve tempo de se descobrir e escolher sobre o caminho que deveria dar à sua magia. Mesmo que a decisão tomada tenha sido involuntária, ela descobriu que nem sempre é possível escolher, e que destas escolhas é preciso tomar as decisões que irá atingir a todos. Sua hostilidade por Irmã Inez é recíproca, aliás a mulher é uma megera e usa a todos, principalmente a tonta da Maura. Por falar em Maura, que garota carente... Parece alguém que conheço, adora chamar a atenção e se fazer de coitada, com isto o laço familiar se parte e é Cate que tem que se equilibrar entre a irmã rebelde, a ambiciosa diretora da irmandade e o chefe do Conselho Titular, em uma disputa mais política do que religiosa. A série contou com seus altos e baixos, e o final foi um pouco previsível. Mas como eu estava muito ansiosa, gostei do final e acho que não poderia mesmo ser diferente. Adoro romances sobrenaturais e recomendo.

(-0,5)

Spotswood, Jessica. Predestinadas. São Paulo: Arqueiro, 2015

Read more...

Eu te darei o sol - Jandy Nelson

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Eu te darei o sol - Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia. Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém. Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.
Noah e Jude são os gêmeos mais diferentes que se possa encontrar. Jude é como o sol, loura e exuberante, calorosa e corajosa. Ela era a garota popular da escola, cheia de amigos aos treze anos de idade, enquanto que Noah era extremamente o contrário: tímido, cabelos negros como o da mãe, medroso e totalmente antissocial. Para Noah, Jude era a luz e ele a escuridão. A mãe era a maior incentivadora dos filhos talentosos, Jude em escultura e Noah na pintura. Para ela muito amante das artes, o talento dos filhos era insuperável e sempre os incentivava. Só que esta atenção da mãe acabava por provocar uma competição entre os irmãos e Jude era a que mais sofria, já que para ela, a mãe só se importava com Noah. Noah era o centro das atenções da mãe, a ponto de que, em uma visita ao museu, esqueceram Jude para traz ao voltarem para casa, e estas pequenas demonstrações de favoritismo foram deixando Jude cada vez mais ressentida com a mãe e com o irmão e por isso ela foi também se aproximando cada vez mais do pai. Enquanto Noah tinha ciúmes de Jude com o pai, já que era ela que não tinha medo do mar e sempre fazia companhia ao pai para surfar, Noah tinha aversão mesmo querendo muito ser companheiro do pai. Com estas pequenas coisas foram-se desenvolvendo uma rivalidade entre os irmãos que chegou ao ápice em uma tragédia que abalou fortemente toda a família, chegando ao ponto de inverter a posição das coisas e separando os irmãos que sempre acreditaram dividir a mesma alma.
É isso o que eu quero: quero pegar meu irmão pela mão e voltar no tempo, descartando os anos como se fossem casados que caem de nossos ombros.
As coisas não acontecem como você imagina. (Pág.63)

Este é o primeiro livro desta autora, mesmo já ter visto inúmeras recomendações para O céu está em todo o lugar. É claro que peguei o livro com muita expectativa e no principio achei a leitura extremamente morosa e por isso fiquei até com um medinho. Mas passado o primeiro capítulo, a história foi delineando um novo rumo. Cada capítulo é sob o ponto de vista de um dos irmãos, sendo que para Noah foi no período de 13-14 anos e para Jude aos 16, ou seja antes e depois da tragédia que marcou dolorosamente a vida de ambos. Os acontecimentos são narrados de forma que a dor de cada um seja exposta cruamente até o ponto em que os fatos se revelam. Vemos que mesmo em família, ainda que uma pequena família, as mágoas podem ferir profundamente e que o perdão é importante, mas principalmente não só perdoar o próximo, mas também a si mesmo. Porque às vezes procuramos culpados sem perceber que o inimigo também está dentro de nós. Devemos buscar a lutar contra nossos demônios, nos perdoar e sabermos dar o primeiro passo, pois o perdão é também uma libertação. Apesar de não ser uma leitura muito fluida, é uma linda história de amor familiar, perdão e reconstrução de si mesmo. Os capítulos por serem alternados sob o ponto de vista de cada um deles, acabam sendo extensos, o que eu acho um pouco cansativo, mas valeu a pena, é uma bela história e eu recomendo.

Nelson, Jandy. Eu te dare o sol. Ribeirão Preto, SP: Editora Novo Conceito, 2015.


Read more...

O mundo encantado das cores #2

terça-feira, 21 de julho de 2015


Olá vocês!!!

Eu não poderia deixar de mais uma vez mostrar um colorido deste livro que estou adorando. Como eu disse para vocês, cada livro nos inspira de forma diferente, pois são temas diferentes e eu fico realmente inspirada.



O mundo encantado das cores -Editora Butterfly

Read more...

Momento música #183

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Bom dia!!!

E já passamos do meio das férias e mais uma vez a sensação de que o tempo não está passando... está voando. É melhor correr, e vamos com música!!!
Esta música é de uma banda que adoro e que está mais atual do que nunca com as novas músicas.

Esquecimento - Skank




Read more...

A mulher do viajante no tempo - Audrey Niffenegger

sexta-feira, 17 de julho de 2015

"A Mulher do Viajante no Tempo" conta a história do casal Henry e Clare. Quando os dois se conhecem Henry tem 28 anos e Clare, 20. Ele é um moderno bibliotecário; ela, uma linda estudante de arte. Os dois se apaixonam, se casam e passam a perseguir os objetivos comuns à maioria dos casais: filhos, bons amigos, um trabalho gratificante. Mas o seu casamento nunca poderá ser normal. Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação. Neste livro, a autora mostra com muita sensibilidade, inteligência e bom humor que o verdadeiro amor é capaz de transpor todas as barreiras - inclusive a mais implacável de todas: o tempo.
O romance de Clare e Henry começou de uma forma totalmente inusitada. O Henry por si já é um homem de grandes surpresas, já que ele carrega um dom inusitado e surpreendente, já que ele viaja no tempo, o que pra ele é um sofrimento, já que por causa deste carma, ele presenciou diversas e diversas vezes a morte de sua mãe, que foi uma cantora lírica de sucesso. Por causa da morte precoce de sua mãe, a relação com seu pai era péssima, já que ele, por ser um violinista de renome, com uma alma sensível aos sentimentos e ainda profundamente ligado ao amor de sua esposa, sofreu muito com sua perda deixando Henry no esquecimento. Por outro lado, ele pode conhecer Clare, o grande amor de sua vida, antes mesmo de se conhecerem no presente. Ele a conheceu quando ela ainda tinha seis anos. Desde que se conheceram, ele sempre a visitava e este sentimento foi se desenvolvendo com uma forte base na amizade. Clare foi uma criança com uma personalidade forte, e que desde criança já sabia o que queria. Ela tinha uma lista com as datas das visitas de Henry, e sempre o esperava com lanches e roupas, já que uma das características marcantes das viagens do Henry era que ele não podia carregar nenhum objeto, deixando para trás as suas roupas, e chegando nú aos seus destinos. Isso não surpreendia Clare, que sempre o esperava ansiosa. Estes encontros ao longo dos anos, são marcados por situações cômicas, pois Henry acabava se envolvendo em roubos e perseguições. Ele também se encontrava sempre consigo mesmo, tanto quando mais jovem, ou quando mais velho. Nestas idas e vidas, ele ia vivendo o seu presente, mas sofria muito com estas viagens e estudava métodos de fazer parar esta complexa característica de sua vida.
Henry diz que vem do futuro. Quando eu era pequena, eu não via problema nisso; não tinha a menor ideia do que isso significava. Agora me pergunto se o futuro é um lugar onde eu possa ir; ir de alguma outra forma sem ser ficar velha. Me pergunto se Henry poderia me levar para o futuro. (Pág. 69)

Eu era louca para ler este livro de tantos comentários elogiosos que ouvi. E não foram em vão. A história de Henry e Clare realmente é emocionante. A narrativa é feito sob o ponto de vista de ambos e é possível sentir o que cada um deles sente e sofre. Eu amei a história e realmente choramos, já que é impossível não passar pelos sofrimentos que a vida impõe. Muita emoção, muitos sentimentos. Adorei a história.

Niffenegger, Audrey. A mulher do viajante no tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

Read more...

Uma curva no tempo - Dani Atkins

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Uma Curva no Tempo - A noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona? A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?
A adolescência de Rachel foi tranquila, com muitos sonhos e planos. Ela namorava o rapaz mais cobiçado da cidade, tinham amigos em comum e sempre andavam todos juntos. Mas dentre estes amigos, ela tinha um carinho especial por Jimmy e Sarah, os dois para ela eram especiais em tudo. Todos estão felizes, pois se acabou o ensino médio e agora cada um seguirá seu caminho em busca de seus sonhos, eles estão extasiados com as novas possibilidades e resolvem se encontrar em um restaurante para uma despedida simbólica desta fase que se encerra e comemorar a nova que se inicia. Se eles soubessem o quanto esta noite mudaria suas vidas... Durante o jantar, acontece um trágico acidente que tira a vida de seu melhor amigo e marcando Rachel profundamente, tanto fisicamente quanto em sua alma. Agora, cinco anos depois desta tragédia, Rachel leva uma vida totalmente isolada de todos, trabalhando como secretária em uma empresa de engenharia, deixando de lado seu sonho do jornalismo. Ela mora sozinha em um prédio caindo aos pedaços, sobre uma lavanderia em um bairro paupérrimo de Londres, e vive assim: escondida, isolada com suas sequelas, evitando todos os seus antigos amigos. Rachel simplesmente se entregou à sua dor, à sua auto piedade, e agora vai precisar empurrar todo este sofrimento para algum lugar e enfrentar o seu passado para assistir o casamento de Sarah, sua melhor amiga daquela época, e estar novamente de frente a Matt, seu antigo amor. Rachel estava de volta à sua cidade natal, lutando com todas as suas forças para estar ali e sofrer o mínimo possível, mesmo com estas terríveis dores de cabeça. Mas em uma noite de profundo desespero, ela sai andando pela cidade, totalmente confusa, e vai parar no cemitério, lá ela passa muito mal e acaba desmaiando, mas o mais surpreendente para Rachel é que quando ela acorda toda a sua vida mudou. Os últimos cincos que ela viveu de puro sofrimento desapareceram, mas antes que ela fique louca, ela pretende descobrir o que aconteceu com sua vida.
... Ponderei o cenário curiosamente complexo que meu subconsciente reunira. Todos os fatos e personagens estavam presentes, mas os detalhes e acontecimentos tinham sido torcidos numa estranha realidade paralela. (Pág. 89)
Eu estava muito ansiosa para ler este livro. A sinopse me atraiu desde o princípio e a capa, os quotes e comentários. Comecei a leitura já imaginando o tanto que iria chorar. Rachel é uma mulher afundada na dor e sofrimento até o último fio de cabelo. A culpa e o remorso a torturam vinte e quatro horas de sua vida, assim como intensas dores de cabeça. Ela está fazendo um extremo sacrifício para comparecer no casamento de Sarah. No inicio é um misto de emoções que Rachel nos desperta: compaixão por seu sofrimento e raiva por sua teimosia. E o final foi um choque, um choque profundo e que confesso que, mesmo após cindo dias eu ainda me pego pensando nele. Um final surpreendente, que jamais imaginei. Tentei descobrir quem leu para trocar umas ideias, mas não achei ninguém. Se você leu, me fale, por favor.

Atkins, Dani. Uma curva no tempo. São Paulo: Arqueiro, 2015.


Read more...

Momento música #182

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Bom dia!!!
Gente!!! O tempo está voando, se eu fosse vocês não pisquem, senão já é natal. Mas enquanto isso, para ver o tempo passar com muita luta, só mesmo uma música nostálgica.

Metal contra nuvens - Renato Russo


Read more...

Eu Fico Loko - Christian F. de Caldas

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Eu Fico Loko

Eu Fico Loko - Ele só precisou de uma câmera, muita criatividade e um pouco de coragem para criar um dos vlogs mais acessados do YouTube. O EU FICO LOKO é recordista absoluto de views e inscrições, com mais de 1 milhão e 500 mil assinantes.Para os entendedores, o Christian hoje é um vlogger e um youtuber dos mais bombados. Mas na verdade ele é apenas um cara que gosta de escrever e que transformou o papel em vídeo.Todos os dias, milhões de jovens procuram pelo Christian em suas redes sociais para saber o que ele está pensando. O porquê desse sucesso fora do normal você vai descobrir neste livro.

O livro conta alguns acontecimentos que ocorreram com o youtuber Christian. As cronicas são sobre fatos variados, desde primeiro beijo até a ser pego com bebida alcoólica no banheiro da escola. Basicamente aquelas experiencias vividas na adolescência da maioria das pessoas.

Nunca pensei dentro da caixa, pois nunca quis me encaixar em nada… Fora da caixa eu posperei muito mais do que dentro dela.  p.152

Confesso que nunca ouvi falar do Christian na minha vida, e não sabia o que esperar desse livro. Mas, mesmo perdida, não consegui me simpatizar com o livro, e talvez, até com o próprio autor. Achei a arte da capa super criativa e legal; mas o design das paginas no decorrer da leitura realmente me incomodou, varias fontes, tamanhos, desenhos e etc, sério, achei uma poluição visual e me fez perder ainda mais o interesse na leitura.

As cronicas não tinham nada demais, e nem prendiam a minha atenção, eram apenas histórias soltas, em que ele sempre tentava arrumar uma moral para aquilo tudo, e uma lição para que não acontecesse também com o leitor. O fato dele repetir várias vezes a palavra lokão (o que eu suponho que tenha a ver com o seu canal e jeito de falar nos videos, mas mesmo assim achei chato), e ele falar apenas americanos quando se referia aos norte americanos (ok, talvez seja frescura da minha parte, mas amigo, também somos americanos, então especifique sobre quem você está falando), me irritaram muito.

Esse livro não foi para mim, não sei se o momento e a situação que eu estava enquanto lia fizeram com que eu ficasse ainda mais chata. Acho super legal o fato dele realizar o sonho de publicar um livro e tudo mais, mas ele poderia ter pensado em algo mais legal e atrativo.

Enfim, não curti a leitura. E desculpe a sinceridade, mas eu não gastaria o meu dinheiro para comprar este livro. Antes de lê-lo até pensei em procurar os videos do rapaz para assistir, mas desisti, tenho medo de me decepcionar mais ainda. Pode ser que apenas eu achei isso e não me dei bem com isso tudo; e que dê certo para você...

Caldas, Christian F. de. Eu Fico Loko. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.

sobre o autor

Eduarda GalvãoEduarda Galvão, 18 anos, Brasília. Cheia de esquisitices e manias. Apaixonada por livros e personagens. Louca por filmes e séries. Com mania de colecionar livros, canecas e amores..

Read more...

O reino secreto de Todd - Louise Galveston

quarta-feira, 8 de julho de 2015

O reino secreto de Todd

O reino secreto de Todd - COMO FOI QUE ELE SE TORNOU UM DEUS POR ACIDENTE?
INGREDIENTE A: meias esportivas muito usadas
INGREDIENTE B: imundicie do GRANDE e Poderoso TODD (em pessoa)!
INSTRUÇÕES: deixar embaixo da cama por meses e meses. NÃO ARRUMAR O QUARTO
Mas atenção! Quando o valentão da escola, Max Loving, coloca em risco o futuro da minúscula civilização toddliana, Todd terá que fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvar essa raça que ele mesmo criou sem querer. Perfeito para os fãs de livros de aventura que saem da mesmice, O REINO SECRETO DE TODD vai fazer você rir bem alto. Descubra o que acontece quando você deixa a roupa suja jogada no chão...

Todd é um garoto de 12 anos que está no 6º ano, sofre nas mãos dos valentões, que sonha em um dia ser um dos meninos mais legais da escola, com uma irmã bebê, quase um monstro destruidor de tudo o que tem na sua frente; e que
definitivamente NÃO ARRUMA O SEU QUARTO! Eis que um dia Todd está em seu quarto e vê sair faíscas de sua meia suada que está há meses jogada no chão de seu quarto. E pede ajuda para a sua vizinha super nerd, Lucy, e descobrem que existem pelo menos umas 50 pessoas minusculas vivendo na meia do garoto. Isso, Todd criou vida a partir do seu chulé e suor. E sim, foi assim que o menino se tornou um deus, o Grande Todd, como os toddlianos (seu povo) o chamam, o líder daquelas pessoinhas. O garoto está super assustado, por tanta responsabilidade, afinal, o seu caranguejo morrera a 2 dias e ele não tinha percebido, ou seja, ele não é a melhor pessoa para ter vidas em suas mãos.

Mas então, o valentão do sexto ano, Max, decide que quer fazer o projeto para feira de ciências com Todd, o que acaba com os planos do menino de fazer com o Duddy, seu melhor amigo. Assim, Max descobre sobre os toddlianos, e decide que eles serão o trabalho a serem apresentados e que lhe darão um 10 em ciências. A partir de então, Todd começa a ver que realizará o seu sonho de ser um dos meninos mais legais da escola, e não mais o que apanha dos fortões. Max e seus amigos começam a proteger Todd, e a chamar o garoto para andar com eles, assim, afastando-o dos fracassados, inclusive Duddy. Todd tem o seu povo tomado por Max, porque segundo ele, os toddlianos precisam ser treinados para a apresentação, e que ninguém mais pode saber sobre a existência deles. Bom, que mal tem né? Com isso Todd conseguiu proteção contra os outros valentões e ainda por cima, anda com um dos caras mais legais de sua série.

Mas, Todd consegue resgatar Lewis, um dos toddlianos mais devoto ao seu deus, e ele o conta que Max está fazendo com que o seu povo treine números circenses e coloquem os seus minúsculos e frágeis corpos, e suas vidas em risco. E, poxa, aquele cara estava afastando ele de seu melhor amigo. Será que andar com Max valeria a pena perder os toddlianos e o Duddy? Claro que não, mas para conseguir salvar a todos, Todd deverá vencer o seu medo de enfrentar valentões. Será que ele vai conseguir cumprir o seu papel de deus e salvar o seu povo do grande mal?


"Você percebe o que fez, Todd Butroche? Você criou vida com pura sujeira!"  pag. 39

Bom, o trabalho da editora foi muito bom, este livro é do selo #IRADO da Editora Novo Conceito, tem uma ilustração no final de cada capitulo, e encontrei erros mínimos de digitação durante a leitura. Mas o que eu mais gostei foi da capa, alem de ser dura (amo livros de capa dura), a ilustração ficou muito legal, realista e bem feita. 

A história desenvolvia pela autora é muito interessante, e os personagens foram muito bem construídos. Todd , Duddy e Max são aqueles típicos personagens de livros/filmes que se passam nas escolas norte americanas, que sempre iremos encontrar, mas que não nos cansa nunca. Tenho que confessar que senti raiva de Lucy, por ser tão intrometida e achar que por ser nerdzinha sabia sempre o que era melhor; raiva de Max por ser tão, tão, tão aqueles valentões que não deixam ninguém em paz, e perturba só para serem chatos e inconvenientes; mas principalmente, senti raiva de Todd, por ser tão passivo com as suas coisas e deixar que os outros tomem de conta delas. Mas enfim, tive que lembrar que são crianças de 12 anos, e no final achei que ficou tudo bem.

Um dos pontos que mais achei legal é que os toddlianos tinha a sua linguagem que Todd e Lucy não entendiam, (mas as criaturinhas aprendem as coisas em uma super velocidade e logo aprenderam a se comunicar normalmente) e ao longo da história, descobrimos que eles falam a língua dos bebês, e assim, Lewis começa a conversar com a irmã de Todd pois ele pode compreende-la. Sério, achei essa sacada muito boa.

O livro começa sendo narrado por Lewis, enquanto ele conta uma história para os seus netonhos, de quando Todd os descobriu; e assim os capítulos se intercalam por Todd, e três toddlianos: Lewis, Persefone, Herman. Estes três tem narrativas do ocorrido com Todd, e também intervenções durante a história que o vovô está contando.

Enfim, apesar do livro não ter me prendido da maneira que eu esperava, por não ter uma narrativa tão impactante, a leitura valeu a pena. Para quem gosta de aventuras leves, é bom para passar o tempo. Recomendo, porem, não é um dos livros que eu colocaria no topo da lista de leitura. Acho que garotos novos irão adorar, para os demais, está seria uma leitura light que nos faz descaçar para que depois leiamos algo mais marcante.


Galveston, Louise. O reino secreto de Todd. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.

sobre o autor

Eduarda GalvãoEduarda Galvão, 18 anos, Brasília. Cheia de esquisitices e manias. Apaixonada por livros e personagens. Louca por filmes e séries. Com mania de colecionar livros, canecas e amores..

Read more...

O mundo encantado das Cores

terça-feira, 7 de julho de 2015

 O mundo encantado das cores traz para você a oportunidade de redescobrir o prazer de imaginar e criar. São diversas imagens com temas variados: animais, flores, mandalas, borboletas, pessoas, objetos e figuras abstratas. Com essas imagens, selecionadas com muito carinho e impressas em papel de alta qualidade, você poderá fazer lindos quadros ou até mesmo presentear com uma de suas pinturas quem você ama. E cada imagem é acompanhada de um pensamento, para você refletir enquanto colore. Escolha suas cores preferidas e descubra um mundo de possibilidades. Seja bem-vindo ao mundo das cores!



Todo mundo já sabe que eu, assim como mais da metade do planeta, também caí de amores pelos livros de colorir. Comprei o meu primeiro e junto com o grupo de leitoras aqui de BH, também passamos a compartilhar os nossos coloridos, e como o meu trabalho é hiper estressante, os livros realmente funcionam. Quando recebi o Livro O mundo encantado das cores da Editora Butterfly, achei que seria mais do mesmo, que todos os livros de colorir seriam iguais, e tenho certeza de que todos pensam assim. Muito tem se criticado quem adotou este hobby, mas eu penso que antes de tudo, todos devem respeitar as escolhas de todos. E quando recebi o livro, qual não foi minha surpresa ao ver não só muitos desenhos lindos, como também provérbios e poemas maravilhosos, no anverso de cada página. 



E são tantos desenhos lindos... o meu cérebro já ficou pulando ao vislumbrar tantas possibilidades...



E logo eu escolhi o meu para estrear esta delicinha. E coincidência foi acontecer justo em um mês que foi top estresse. O que vocês acharam??? Eu achei lindo!


O mundo encantado das cores: Livro antiestresse - Editora Butterfly

Read more...

Momento música #182

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Bom dia!!!

Que a semana de todos seja muito produtiva e cheia de realizações. Para isso, uma bela música. Impossível não escutar The Avett Brothers e não lembrar de Métrica.






Read more...

Desencanto - Dario Sandri Jr

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Desencanto - Em Desencanto, o Espírito Félon narra a história de Laura, uma jovem italiana do século XIX que segue seus sonhos voluntariosamente, eum um mundo convulsionado por graves mudanças sociais e políticas. Sem ter consciência das tramas do passado e ignorando as advertências do destino, Laura se vê ás voltas com realidades insuperáveis e cai vítima de suas prórpias escolhas. A tentativa dos mentores espirituais para salvar essa encarnação, aparentemente perdida, é o pano de fundo de uma história de amor, guerra, romantismo, ganância e impiedade.
Séculos de ódio é o que une os espíritos Vênus e Pôlux. Em uma derradeira tentativa de desfazer este nefasto sentimento, eles são conduzidos a uma reencarnação compulsória. Laura é uma jovem que nasceu em uma família de três irmãos, em função disto é a querida do pai, o comendador Giácomo Gualfrani. Por ter ficado viúvo cedo e também perdido um de seus filhos afogado, Giácomo era extremamente protetor com sua filha Laura e por consequência ela cresceu mimada e arrogante. Para Giácomo, sua palavra era lei, seus filhos lhe tinham obediência, mesmo não concordando com sua opinião e por muitas vezes acabavam ocultando suas ações de seu pai. A pedido do padre, Giácomo dá abrigo a Franco Pina, um jornalista perseguido político, mesmo contrariado. Conhecedor da alma humana, logo ele percebeu que Franco era um espertalhão oportunista, e deixou bem claro que este deveria ficar longe de seus filhos e principalmente de Laura. Sua intenção era casar Laura com Étore, filho de seu melhor amigo que faleceu recentemente. Étore e Laura se antipatizaram no primeiro encontro, ela logo identificou nele o seu lado afetado e ele descobriu que Laura não era mais pura e que estava de relacionamento com o jardineiro. Desesperada e com medo das retaliações, Laura rouba o próprio pai e foge com Franco Pina para os Estados Unidos, cega de romantismo e ilusões, decisão que ela irá se arrepender por muitos anos na sua vida e pelo qual irá derramar um mar de lágrimas.
Todo drama humano quase sempre é consequência de escolhas deturpadas pelo orgulho e pela ignorância da realidade. Não é raro o homem culpar a sua estrela ou a má sorte por desastres que estavam, na verdade, sendo manipulados por suas próprias mãos. (Pág.159)
Ler um romance espírita com este nível de ensinamento é uma sorte. Aprender sobre o amor e o perdão em uma linda história é muito mais do que um prazer. Somos produtos e vítimas de nossas escolhas, e precisamos sempre olhar para as consequências daquilo que escolhemos, cientes que somente colheremos o que plantarmos.

Fénelon, espírito. Psicografado por Dario Sandri Jr. Desencanto. São Paulo: Editora Aliança, 2009.

Read more...

Cinquenta tons de cinza - E L James

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Cinquenta Tons de Cinza - Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.
Muito se foi falado da universitária virgem de vinte e um anos que vai entrevistar um empresário milionário, extremamente bonito e atraente e que acaba se submetendo aos seus caprichos sexuais nenhum pouco ortodoxo. Desde que foi lançado em 2012, muita coisa foi dita. Quando estive na Bienal de SP, justamente à época do lançamento, eu ainda não tinha ouvido falar sobre ele, mas claro que em plena bienal, não se falava em outra coisa e de lá para cá... Todos já sabem: há quem ame e quem odeie. No meu círculo de amizades, conheço quem detestou, quem abandonou e quem amou de paixão. As primeiras imagens que me foram passadas não foram animadoras, destacaram sempre o lado fraco do livro e com base nestas impressões decidi não ler. Mas passados estes três anos, após ouvir opiniões divergentes sobre o livro, optei por tirar eu mesma as minhas impressões. O livro tem aquilo que todo munda já conhece sobre a submissão, Boundage, sadomismo, etc, etc... Mas aos meus olhos consegui extrair o que considero em minha opinião, o algo mais. A jovem mulher que pouco conhece sobre relacionamento, mas que consegue ver romantismo e oportunidade de todos para uma recuperação, de um resgate. Ela se arrisca em salvar um espírito atormentado que apesar dos relacionamentos fúteis, não se entrega jamais. isto foi o que me chamou a atenção, que me fez ver que, valia a pena ir até o fim. Respeito a opinião de todos, mas a minha também. Eu não disse que a história não tem defeitos, tem, já que aguentar a deusa interior e patética foi de doer, mas... é possível passar por cima. 

James, E L. Cinquenta tons de cinza. Rio de Janeiro; Intríseca, 2012



Read more...

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados