Resultado Promoção Tesouro Literário#1

domingo, 31 de maio de 2015

Boa tarde!

Quem será??!!!

A ganhadora da nossa promoção, é...

Parabéns Milena!!!

Já enviei e-mail para a ganhadora e aguardamos contato para envio dos dados.
Fiquem ligados para a próxima promoção.
Beijos!

Read more...

Fingindo - Cora Carmack

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Fingindo - Por quanto tempo você consegue prender alguém? Meu nome é Cade Winston. Aluno de mestrado em belas-artes, voluntário, abraçador de mães e seu namorado pelas próximas vinte e quatro horas. Prazer em conhecê-la. Com seus cabelos coloridos, tatuagens e um namorado que combina com tudo isso, Max tem exatamente o estilo que seus pais mais desprezam... E eles nem sonham que a filha vive assim. Ela fica em apuros quando seus pais a visitam na faculdade e exigem conhecer o futuro genro. A solução que Max encontra para não ser desmascarada é pedir para um desconhecido se passar por seu namorado. Para Cade, a proposta veio em boa hora: é a chance que ele esperava para acabar com a sua fama de bom moço, que até hoje só serviu para atrapalhar sua vida. Um faz de conta com data marcada para terminar... E um casal por quem a gente vai adorar torcer. Fingindo vai seduzir você.
Max é Mackenzie, mas não ouse chama-la assim se não quiser ganhar uma inimiga. Seu sonho é a música. Tudo o que ela faz é somente com um único objetivo, alcançar o reconhecimento pela música. Mesmo contrariando seus pais. Ela se mudou para outro estado com o objetivo de estudar, mas acabou trancando a faculdade e atualmente divide seu tempo entre um estúdio de tatuagens, dançando e servindo mesas em um bar e também ensaiando junto com sua banda. Ela é objetiva e não gosta de perder tempo com firulas, mas quando o assunto são seus pais... As coisas mudam radicalmente de figura. E ela estava totalmente relaxada e confiante da distância entre ela e eles, quando recebe um telefonema deles avisando que estava na cidade e queriam encontrá-la naquele instante. Ela que ao atender ao telefone ao lado do namorado que estava longe do tipo aprovável por eles, entra em pânico e acaba pedindo ajuda a um estranho. Max acaba pedindo socorro à Cade, o rapaz bonito, inteligente e o genro que todos os pais desejariam para suas filhas. Quando Cade estava sendo interrogado por seus pais, ela até acreditou que ele estava forçando a barra no quesito rapaz perfeito, mas se surpreendeu ao confirmar que, tudo o que ele havia dito era tudo verdade. Cade jamais faria o seu gênero para namorado, mas ela foi pega em uma armadilha do destino quando percebeu que, tudo aquilo que ela sentia ao ser tocada por ele, jamais havia sentido antes, mesmo com o seu atual namorado, que ela considerava excepcional. Inesperadamente eles acabam por dividir algumas dores pessoais, e o que era para ser apenas um namoro fingido de um dia, acabou se tornando algo mais, mas que se quebraria com a realidade.
O que havia de errado em deixar o passado no passado? Por que temos de arrastar nossos problemas com a gente rumo ao futuro? Eu nem conseguia respirar ali com todos aqueles fantasmas que a mamãe trazia consigo. Eu não combinava com aquele mundo e, quanto mais tentava, mais sentia que não combinava com lugar algum. (Pág.134)
Este é o segundo livro da autora e confesso que gostei mais deste do que do primeiro. Também na categoria New Adult, a história de Max e Cade é povoada pelo sofrimento da infância que acabou se arrastando pela vida adulta e que cada um precisa contornar para ter uma vida plena. Quando os dois se conhecem é como uma antítese, ele bom moço ela a garota rebelde cheia de tatuagem e que colore os cabelos de cores berrantes para fugir do padrão de comportada, mas a química deles é deliciosa e deixou a história doce. Um lindo romance, é o que achei.

Carmack, Cora. Fingindo. Ribeirão Preto, SP. Novo Conceito Editora, 2015.





Read more...

Pela luz dos olhos seus - Janine Boissard

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Pela Luz Dos Olhos Seus - Laura Vincent cresceu entre o mar e as macieiras da Normandia. Passou a adolescência à sombra da irmã mais velha. Agathe – a bela – era admirada e disputada por todos os garotos da cidade; Laura – a pequena – passava as noites em casa, lendo romances. Mas o destino preparou uma surpresa para Laura. Trabalhando como assessora de imprensa de músicos, ela recebe, no dia seguinte ao seu aniversário de 26 anos, a visita do agente de um dos tenores mais famosos do mundo. Ela é requisitada para ser guia dele e seu chefe não deixa margem para discussão. Rico e bem-sucedido, Claudio Roman viaja pelo mundo emocionando plateias com sua voz. Fã de banquetes, bebedeiras e belas mulheres, ele parece ter tudo o que quer, porém seu comportamento esconde a amargura de nunca poder interpretar Alfredo, em La Traviata, por causa de um ataque criminoso que lhe custou a visão. Laura está preparada para lidar com um homem difícil e arrogante, mas, assim que ouve Claudio cantar pela primeira vez, ele toca seu coração. Aos poucos, mais do que sua guia, ela se torna também a confidente das noites sombrias de angústia. Como ela nunca lhe pede nada em troca de seu apoio, Claudio promete lhe dar qualquer coisa. No momento certo, ela cobra a promessa: quer que o cantor se submeta a um transplante de córnea capaz de lhe restituir a visão de um dos olhos. Apaixonada e convencida de que Claudio não precisará mais dela quando voltar a enxergar, Laura vai embora sem se despedir e sem dar a ele a oportunidade de vê-la. Será que Claudio saberá lidar com essa decisão? Ou ele vai enfim perceber que sempre lhe faltou o alimento mais essencial à vida: o amor?
Laura chegou aos seus vinte e seis anos acostumada a ser a “pequena”. Foi assim criada na sua amada aldeia de apenas setecentos habitantes a entre o mar e as macieiras na Normandia. Ela e sua irmã foram criadas com muito amor, mas desde seus oito anos quando escutou de sua tia que, sua irmã Agathe era a “bela”, mas que a “pequena” era mais inteligente, ela se conformou que não era possuidora de beleza e contrariando as expectativas, não se formou professora, mas sim em letras e assim que pode alçou voos para ser muito mais. Agora ela é livre, mora em um apartamento minúsculo que atende bem suas necessidades, sai com vários amigos e trabalha em uma agência de assessoria musical. E Laura ama o que faz. Um dia chega à agência o empresário do grande tenor Cláudio Roman, homem de talento que há dois anos sofreu um atentado que o levou à cegueira. Cláudio também era conhecido por suas excentricidades e grosserias, assim como mulherengo que era. A forma como tratava as mulheres chegava à beira da crueldade. David queria contratar os serviços da agência por um fim de semana e queria uma pessoa discreta e o chefe de Laura a escolheu para a tarefa. Ela estranhou, já que nunca cuidara de um cego, mas cumpriu sua tarefa com profissionalismo. Ela que nunca havia assistido uma ópera, se apaixonou pelo gênero e pelo cantor na primeira noite, mas guardou para si seus sentimentos mais profundos. Logo a agência foi contratada em caráter permanente e Laura passou a ser a assessora em tempo integral, com direito à secretária e tudo. Sua tarefa era sempre auxiliá-lo quanto à descrição dos locais, sempre se mantendo discreta. Ao chegar aos hotéis, ela descrevia para ele o ambiente, a disposição dos móveis, as cores, já que desde que perdeu a visão ele se recusou a usar bengala e cão guia. Para ele, homem orgulhoso, a humilhação seria grande demais para suportar e preferia então passar outra imagem. Apesar da imagem cruel, Laura era a única que percebeu sua solidão e sofrimento e também sofria. E seu sofrimento foi ainda maior quando ela descobriu que o maior sonho de Cláudio era interpretar Alfredo em La Traviata, sonho este roubado com a cegueira. Ela então se tornou a mais determinada de todos na luta para que ele realizasse o transplante que iria lhe restaurar a visão, ficou ao lado de Cláudio o tempo inteiro na viagem à Nova Iorque, e foi com ele até à porta do bloco cirúrgico, e quando Cláudio acordou da anestesia chamando por ela, Laura simplesmente tinha desaparecido.
Fazer o homem para quem vivemos de corpo e alma acreditar que não o amamos para poder libertá-lo. Será isso o amor? O amor exige tanto sacrifício? (Pág.82)
Poético. Uma história de amor intensa e poética, com seu próprio fundo musical. Eu simpatizei logo de cara com Laura. Uma mulher forte e batalhadora que não se deixou acomodar pelas limitações de seu ambiente familiar, mas por outro lado se deixou convencer fácil demais pela sua questionável falta de beleza. Para mim era óbvio que ela se sentia diminuída perante a irmã, mas não significa que ela era feia. Ou ela não sabe que existem diversos definições para beleza? Outra coisa que também não gostei muito foi ela ter se apaixonado já no primeiro dia, ou canto. Mesmo com este amor precoce, a beleza da narrativa é inquestionável. Eu só queria que o final do livro fosse tão intenso quanto foi a história em si. Para mim, faltou um pouco deste calor, desta intensidade. Mas valeu a pena cada página e cada linha .

Boissard, Janine. Pela luz dos olhos seus. São Paulo, Arqueiro : 2013.


Read more...

Jardim Secreto #2

terça-feira, 26 de maio de 2015

Bom dia!
O tempo tem passado tão depressa que só agora me dei conta de que já fazem quase dois meses que fiz o primeiro post sobre o livro de colorir e anti estresse Jardim Secreto. Para mim, os efeitos do livro são excepcionais, mas para outros eu vejo que funciona de forma adversa. Ainda bem que tenho visto mais pessoas empolgadas do que aqueles que parecem se sentir incomodados. Tenho visto gerações inteiras se reunindo para colorir, coisa difícil de se ver nos dias de hoje. Pessoas animadas por ter um novo objetivo. Acho que é assim que funciona, faz quem quer, quem se sente bem. Se não gosta, fica calado, pois você está correndo um alto risco de falar besteira e ficar no ridículo.

Desde o primeiro a primeira postagem é claro que evoluí bastante, comprei mais alguns lápis pelo caminho e relaxei minha cabeça. Me divirto trocando figurinhas com as chocólatras e disseminando este hábito com outros. Sem contar que a prática de estar buscando inspiração para o próximo trabalho, acabou despertando em mim um maior interesse pela paisagem ao meu redor. Sempre estou olhando os jardins e descobrindo que na natureza, todas as cores são possíveis, e com isto percebo que a cada trabalho é uma personalidade diferente e melhor.






Estes são meus trabalhos. Logo trarei mais para vocês, quem sabe vocês também não se animam?




Read more...

Momento música #177

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Bom dia!

Iniciamos a última semana de maio e só posso dizer uma coisa meus queridos: Se tem um projeto para este ano e ainda não começou, corre... Já estamos no meio do ano!!!

E para não quebrar o ritmo, que tal música? E mais uma queridinha:

Milky Chance - Stolen Dance





Read more...

Supernova: O encantador de Flechas - Renan Carvalho

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Supernova - O Encantador de Flechas - Imersa em uma ditadura implacável, a isolada cidade de Acigam sofre com a ameaça da guerra civil. De um lado, a Guilda, um grupo que utiliza os ensinamentos da Ciência das Energias para exigir direitos para a população. Do outro, um governo tirano, resguardado por soldados especialistas em aniquilar magos — nome vulgar dado aos praticantes da tal ciência. No meio desse conflito vive Leran, que, após ser tragado para a rebelião, tenta aprender mais sobre sua misteriosa habilidade de encantar objetos com a energia dos elementos. Com uma narrativa envolvente e reviravoltas incríveis, Supernova: O Encantador de Flechas é um livro que vai arrebatar os fãs de fantasia.
Leran é um jovem de dezessete anos que está às vésperas de concluir o ensino médio. Vivendo em uma ditadura em uma cidade isolada onde é proibido entrar e sair, sua única alternativa é trabalhar no comércio de sua família, no comércio de estranhos ou se tornar um soldado, coisa que ele não desejava de forma alguma. Ele vive apenas com sua mãe e sua irmã desde que seu pai morreu há alguns anos e seu passa tempo favorito é passar algumas horas com seu avô em sua loja, aprendendo alguns truques, mesmo que isto contrariasse sua mãe. Desde que seu pai morreu, sua mãe é contra a relação dos filhos com o avô, único parente vivo. Leran tem uma irmã, Luana de quinze anos que está naquela fase dark da adolescência. Durante uma das visitas ao seu avô, ele conhece Judra, uma garota sensível e linda que tocou seu coração e ele fica entusiasmado com este novo relacionamento, sempre que podia dava uma jeito de fugir para se encontrar com ela. Em um dia que perdeu a hora praticando os truques, seu avô decide acompanha-lo até em casa, já que era extremamente perigo caminhar pelas ruas após altas horas e no caminho eles são surpreendidos por soldados que estavam perseguindo alguns cidadãos, chegando a ponto de execução. Assustado, Leran não compreende aquela injustificada perseguição, até que seu avô lhe conta sobre a Guilda e os magos. Surpreso com a realidade por trás do falso do véu passividade. Chegando à casa, encontra sua mãe desesperada. Irritada, ela pede que Leran se retire da sala e ele finge sair e é quando ele houve uma conversa entre sua mãe e seu avô, conversa esta que derrubará por terra tudo aquilo em que acreditava. Os acontecimentos começam a desencadear revelações que irão tirar todo o seu mundo dos eixos.
Levanto-me ainda zonzo e corro para onde a casa estava. No seu lugar, restam apenas pedaços de concreto e madeira em chamas. (Pág.166)
Quando recebi este livro eu fui atraída pelo título: O encantador de flechas. Achei o início do livro bem morno e sem empolgação, mas depois que os acontecimentos explodem... Socorro porque é só correria. Em minha opinião faltou um tantinho assim de maturidade ao nosso herói, mas ainda assim, nada que ofuscasse a dinâmica dos acontecimentos. O autor não tem dó nem piedade ao dar cabo dos personagens durante uma guerra sangrenta e imprevisível. São reviravoltas atrás de reviravoltas que nos fazem ficar ansiosos pelo próximo livro. É um infanto juvenil muito bacana e empolgante. Vale a pena conferir.

Carvalho, Renan. Supernova: O encantador de flechas. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora.


Read more...

Bruxa da Noite - Nora Roberts

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda. Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera.Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar. Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. Uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal, ele reúne três de suas maiores fantasias num único pacote. Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado. Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.
Iona só teve contato com a sua verdadeira história através de sua amada avó Mary Kate O’Connor. Vivendo em Baltimore com pais indiferentes, a única coisa que ela tinha como verdadeiro era o amor da avó materna que apresentou aos seus dons, e pelos cavalos. Ela simplesmente amava seu trabalho de treinadora, mas quando ela descobriu a história de seus antepassados na Irlanda, ela imediatamente se dispôs de tudo e se mudou em busca de encontrar um lugar em que se sentisse “em casa”. Mal chegando àquele país, Iona já tinha certeza de que estava em casa, que tinha encontrado o seu lar. Lá pela primeira vez ela se encontrou com seus primos, os irmãos Branna e Connor, ambos já conhecedores da história de seus antepassados, a lenda que rege o seu sangue assim como do perigo que os ronda, principalmente com a chegada da “terceira”, que é Iona. Assim que chega na Irlanda, ela já sofre com os assédios de Cabhan, o bruxo das trevas que foi derrotado pela bruxa da noite e sua antepassada Sorcha e que jurou vingança de todos os seus descendentes. Branna e Connor então se comprometeram de preparar Iona para a batalha prevista na lenda e seria necessário ensiná-la a expandir os seus poderes e principalmente dominá-los. Enquanto se prepara, ela consegue trabalho no haras de Boyle e Finbar. Eles logo percebem que a relação de Iona com os cavalos estava muito além de mera habilidade, ela tinha o dom de se comunicar com eles, tornando-se uma verdadeira encantadora. Para Boyle e Fin, era natural este comportamento já que eles viveram a vida toda com Branna e Connor e eram acostumados com estas peculiaridades, muito mais para Fin que era descendente direto de Cabhan. Mas é por Boyle que Iona se sente atraída, mesmo ele não sendo um dos homens mais delicados no assunto afetivo. Determinada, ela não se deixa intimidar e não esconde em nenhum momento o seus interesses por Boyle, mesmo que isso a leve ao sofrimento, ela só não poderá em momento algum é perder o foco de sua missão.
A luz e as risadas eram agradáveis, necessárias. Então ele desfrutara daquilo.
À luz brilhante da cozinha, com cheiros quentes, a música rápida e as risadas, nem Boyle nem qualquer um dos outros viram a sombra que, do lado de fora da janela salpicada de chuva, os observava. E os odiava. (Pág.159)
Impossível não se deixar envolver por mais uma bela história da diva Nora. E principalmente em mais um romance apaixonante com elementos tão especiais quanto os ares da Irlanda. Quem não ama histórias que se passam nos cenários irlandeses, que atire a primeira pedra, mas eu simplesmente adoro. Quando ainda tem o tempero do sobrenatural, que tem tudo a ver com o cenário fica ainda melhor. Com um belo romance e algumas cenas engraçadas. Em alguns poucos momentos achei a Iona um tanto imatura, nas tinha a justificativa dos pais alienados. Este é o primeiro livro de uma trilogia e é claro que deixou aquele gosto de: quero o próximo livro já. E você, gosta de romances sobrenaturais? E os que se passam na Irlanda? Leia e me conta.

Roberts, Nora. Bruxa da Noite. São Paulo: Arqueiro, 2015.


Read more...

Momento música #176

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Bom dia!!!

Para quem gosta de música sempre tem aquele cantor que nos conquista. Tem aqueles que você gosta só de uma música e aqueles que você acaba gostando de todas. E quando se une dois artistas que apreciamos, fica melhor ainda não é mesmo?

Distance - Jason Mraz e Christina Perri


Read more...

Três dias para sempre - Janda Montenegro

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Três dias para sempre - Quanto tempo você precisa para saber que está apaixonado? Uma semana? Um mês? Um ano? Line e Teo só precisaram de três dias. E, em três dias, eles vivem uma paixão que, pela sua vontade, duraria para sempre. Line mora sozinha no Rio, ainda juntando os cacos depois que o seu noivo a abandonou no dia do casamento. Sem um emprego decente, sem um amigo sequer e sem coragem de voltar para a sua cidadezinha natal, ela vê os dias passarem enquanto aguarda algum sinal do destino sobre qual caminho seguir. No ônibus ela conhece o brasiliense Teo, que está na cidade a passeio, curtindo o verão mais escaldante dos últimos mil anos. Olhares trocados, mensagens de texto e uma vontade incontrolável de se ver mais uma vez... É assim que começam as paixões mais gostosas. Para Line, poderia ser apenas uma distração (maravilhosa) para as noites quentes de Copacabana, seja nos barzinhos junto com a galera ou na (quase) privacidade do apê onde Teo está hospedado. O problema é que um coração cansado de sofrer se preenche com a maior facilidade e Teo não pode ir embora sem saber que mudou a vida dela para sempre.
Eveline passou por uma grande decepção amorosa quando deixou sua cidade no interior da Bahia para se casar no Rio de Janeiro e foi abandonada no altar pelo noivo inescrupuloso. Desde então ela não conseguiu reunir coragem para voltar para sua cidade e foi ficando no Rio, trabalhando informalmente no hotel que havia se hospedado quando chegou. Ela ainda não tinha definido que rumo dar para sua vida, mas uma certeza ela tinha: voltar para sua cidade, não tão cedo. Seis meses ainda não haviam sido o suficiente para fazê-la esquecer da humilhação de ser dispensada por sms no altar. Enquanto isto ela ia levando a vida, mesmo que tivesse que estar as seis da manha do dia primeiro de janeiro no aeroporto esperando hóspedes que sequer conhecia. Até que na viagem de volta ao hotel ela acaba conhecendo dois rapazes de Brasília e inicia um bate-papo bacana, já que não foi possível ignorá-los e tirar um cochilo. Por um deles seu interesse foi maior: Teo. Logo de cara ela se sentiu atraída e percebeu também uma atenção a mais do rapaz. Line se interessa por Teo, mesmo reconhecendo que suas atitudes são um tanto peculiares: skatista de profissão e estudante de  filosofia, dá aulas de skate para crianças carentes, viajando sem dinheiro e se hospedando na casa dos outros ou às custas dos outros. Ela sabe que não se pode esperar muito de um relacionamento passageiro e sem futuro assim, mas está disposta a pagar pra ver, já que seu casamento que foi planejado nos mínimos detalhes também não havia dado certo.
Line sabia que chegaria a hora de se despedir dele, mas aquele momento não seria hoje. Ela iria se preparar claro, e, quem sabe, se os dois se gostassem o suficiente, eles não levariam esse relacionamento adiante, de alguma maneira. (Pág.108)
Eu queria demais ter gostado deste livro, mas a decepção foi imensa. Eu apostei um caminhão de expectativas no livro. Seja pela sinopse, pelo título, pela capa e até mesmo pela promessa de um final inesperado. E bota inesperado nisso. A história foi sim cativante, e apesar de que em alguns momentos Line ser bem repetitiva e insegura, eu torci por ela e por Teo, mas me decepcionei com o final, não era um final que eu escolheria e não curti. Por favor, quem leu me conte o que achou.

Montenegro, Janda. Três dias para sempre. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2015.


Read more...

Sorteio Tesouro Literário #1

domingo, 3 de maio de 2015

Bom dia seguidores fiéis!
Estou ensaiando o retorno dos sorteios ao blog e espero que todos curtam. E para comemorar a volta dos que não foram, sorteio duplo.

As regras continuam as mesmas:
  • Seguir o Blog no GFC
  • Fazer um comentário de participação
  • Ter endereço de entrega em território nacional



a Rafflecopter giveaway

Read more...

A linguagem das flores - Vanessa Diffenbaugh

sexta-feira, 1 de maio de 2015

 A Linguagem das Flores - Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular. Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram. Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.
Hoje Victória está completando 18 anos... Supostamente. Na verdade ninguém sabe exatamente a sua data de aniversário, mas foi esta a data que escolheram para comemorar e emancipa-la colocando para fora do último abrigo que viria morar. Foram dezoito anos entrando e saindo de diversos lares provisórios até que foi decretada como uma criança inapta para adoção, daí por diante foram diversos abrigos. Para Victória hoje os seus sentimentos são diferentes, em seus dezoito anos ela só sentia indiferença pelas pessoas. Ela não suportava ser tocada e somente uma pessoa, por um curto espaço de tempo, foi capaz de rachar sua casca de proteção: Elizabeth. E também foi Elizabeth que ensinou a ela a conhecer a linguagem das flores. É somente através delas que Victória consegue se expressar, ainda que timidamente. Victória sai do abrigo e vai morar temporariamente em uma espécie de fraternidade de garotas que completaram a idade de sair do abrigo, mas para ficarem ali, todas tinham que trabalhar e pagar pela moradia, e Victória não estava interessada em fazer nada que não fosse de sua vontade. Ela não pretendia mais fazer o que as pessoas determinassem para ela, mas apenas o que mandava seu coração. Ela nunca teve tanta liberdade e agora ela queria ser feliz e aproveitar... Mesmo que por caminhos tortuosos. Victória vai morar na rua, vivendo sob os arbustos de um jardim que ela começou a cultivar no parque. Um dia ela percebe Renata carregando diversas plantas e ofereceu ajuda aproveitando para pedir um trabalho, mas teve seu pedido negado, pois Renata queria uma pessoa com experiência. Determinada, Victória usou seus últimos trocados para comprar fita e alfinetes e com as flores que ela cultivava no parque, fez um lindo buquê que levou  para Renata que resolveu testá-la. Para elas era uma parceria perfeita, já que ambas eram reservadas e sem grandes diálogos. Aos poucos elas vão se descobrindo, mas a vida de Victória toma rumos inesperados mesmos quando ela conhece um misterioso vendedor de flores...
Lembrei-me das palavras que Meredith me dissera em Gathering House e outras centenas de vezes antes: Você tem que querer. Você tem que querer ser uma filha, uma irmã, uma amiga, uma estudante, repetira à exaustão. Eu nunca quisera nenhuma dessas coisas e as promessas, ameaças ou os subornos de Meredith nunca haviam mudado minha convicção. Mas, de repente, eu soube que queria ser florista. (Pág.55)

Simplesmente emocionante. Desde as primeiras páginas já percebi que este não era um livro comum. Percebi que nunca havia lido nada similar e já comecei com o coração apertado. Como não se enternecer com uma órfã? Suas raivas e emoções explosivas eram mais do que podia suportar, mas com certeza uma história de fazer transbordar o coração. Adorei e é favorito. 
Nova edição


Diffenbaugh, Vanessa. A linguagem das flores. São Paulo: Arqueiro, 2011.

Read more...

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados