Diário de um adolescente apaixonado - Rafael Moreira

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Diário de um Adolescente Apaixonado - Ele suou frio quando deu o primeiro beijo. Já sofreu bullying na escola. Já gostou de quem não gostava dele. Sente muita falta de quem foi embora. Já brigou com a namorada por Whatsapp e depois pediu desculpas. Ele não troca os amigos por ninguém. Se bem que amigo, AMIGO mesmo, pra ele, é a família. Em 24 crônicas bem-humoradas (claro), o Rafa conversa com a gente como se estivesse bem pertinho. Acostumado a mostrar o rosto na internet, ele criou coragem e começou a escrever sobre as situações da sua infância, sua relação com a família, com as meninas, com os amigos. De cada história, ele tirava uma reflexão sobre as mudanças que já aconteceram na sua vida e o que ele aprendeu com elas. O resultado está aqui, neste livro que você vai ler e depois abraçar bem apertado.
Em Diário de um adolescente apaixonado, Rafael conta como foi sua transição pela adolescência de uma forma bem humorada e ao mesmo tempo esclarecedora. Rafael nos conta como, em vários momentos de sua vida ele conseguiu encontrar lucidez e sabedoria para enfrentar as situações embaraçosas e também como ele encontrou forças para superar suas dores. O interessante é que milhares de pessoas passam por estas mesmas situações todos os dias, mas a forma como Rafael encontrou para transmitir sua mensagem, foi de uma forma simples, mas que conseguiu alcançar diversos adolescentes que se encontram perdidos na transição entre puberdade e adolescência.
Confesso que os desabafos para mim foram apenas isto, desabafos de um adolescente. Até mesmo porque já há algum tempo que passei por esta fase, mas achei legal, pois seu alcance com os adolescentes pelas redes sociais, pode de alguma forma auxiliar quem ainda está com milhões de dúvidas e não tem coragem ou liberdade de procurar alguém para um aconselhamento. Por isso que ele passa a ter uma responsabilidade imensa com o que fala, já que com certeza está influenciando milhões de adolescentes.
Existem aquelas dores que você não desejaria nem a seu pior inimigo. Na verdade, se você tem um inimigo, eu já aconselho que você reflita muito bem sobre o seu modo de vida... (Pág.43) 

Moreira, Rafael. Diário de um adolescente apaixonado. Ribeirão Preto, SP: Novo conceito Editora, 2015 


Read more...

Momento música #175

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Bom dia queridos!

Quem está animado para a última semana de abril, coloca a mão aqui... \o/

E que tal se esta semana vir com uma música maravilhosa?

A Great Big World, Christina Aguilera - Say Something










Read more...

O voo da libélula - Michel Bussi

sexta-feira, 24 de abril de 2015


Na noite de 23 de dezembro de 1980, um avião cai na fronteira entre a França e a Suíça, deixando apenas uma sobrevivente: uma bebê de 3 meses. Porém, havia duas meninas no voo, e cria-se o embate entre duas famílias, uma rica e uma pobre, pelo reconhecimento da paternidade. Numa época em que não existiam exames de DNA, o julgamento estende-se por muito tempo, mobilizando todo o país. Seria a menina Lyse-Rose ou Émilie? Mesmo após o veredicto do tribunal, ainda pairam muitas dúvidas sobre o caso, e uma das famílias resolve contratar Crédule Grand-Duc, um detetive particular, para descobrir a verdade. Dezoito anos depois, destroçado pelo fracasso e no limite entre a loucura e a lucidez, Grand-Duc envia o diário das investigações para a sobrevivente Lylie e decide tirar a própria vida. No momento em que vai puxar o gatilho, o detetive descobre um segredo que muda tudo. Porém, antes que possa revelar a solução do caso, ele é assassinado. Após ler o diário, Lylie fica transtornada e desaparece, deixando o caderno com seu irmão, que precisará usar toda a sua inteligência para resolver um mistério cheio de camadas e reviravoltas. Em O voo da libélula, o leitor é guiado pela escrita do detetive enquanto acompanha a angustiada busca de uma garota por sua identidade.

Este é o maior caso da vida do investigador Crédule Gran-Duc. Contratado por Mathilde Carville, uma nobre dama, a investigar por dezoito anos sobre a pequena sobrevivente da tragédia do Air bus que caiu na fronteira entre Suíça e França, o dia 23/12/1980. No avião havia mais entes queridos, havia também sobreviventes da vida. Pessoas que passaram por outras situações de perdas e que venceram. E havia também Émilie Vitral e Lyse-Rose de Carvile, duas bebês de apenas três meses de vida. Uma estava no avião porque sua família humilde ganhou a viagem à Turquia em uma promoção. A outra, de família rica e nobre e que nasceu na Turquia em função do trabalho do pai, e neste natal iria conhecer os avós franceses. Mas o destino quis que o avião não chegasse ao seu destino e dentre cento e sessenta e nove passageiros e tripulantes, apenas um sobrevivente. Um serzinho minúsculo e indefeso, incapaz de dizer quem era de onde vinha e qual o seu destino. Nem mesmo o seu nome. As famílias entram em desespero e a mídia cai matando, explorando de todas as formas possíveis este drama familiar. Cada família irá lutar com as armas que possui e apenas uma sairá com o grande prêmio: uma linda menininha de belos e incríveis olhos azuis. Dezoito anos se passam e a pequena Libélula é Lilye, uma jovem incrivelmente inteligente e pródiga, que a todos surpreende com seus encantos e determinação, mas ainda impera o grande segredo: quem é Lylie? Émilie ou Lyse-Rose?
Ninguém pode negar que foi um belo achado. No final das contas, os policiais bem que sabiam ser românticos. Assim como o apelido Libélula, o nome Lylie pegou. Como uma espécie de diminutivo carinhoso.
Nem Lyse-Rose, nem Émilie.
Lylie.
Uma quimera, um ser estranho formado de dois corpos.
Um monstro. (Pág.65)
Desde que li a sinopse deste livro eu já fiquei acesa para ler. Quem não gosta de um bom e intrigante mistério? Eu não resisto. Um daqueles livros que você pega e devora, rói as unhas, quer até mesmo pular para o fim do livro. Calma, não se desesperem, pois eu não faço isto de jeito nenhum e resisto página por página, descobrindo aos poucos cada mistério revelado, cada cena que nos leva ao desespero, que nos comove. Imaginar o que se passa na cabeça de uma jovem que simplesmente foi um milagre escapando de uma tragédia que não sobrou ninguém, é um peso imenso para os ombros de uma jovem tão doce. E ainda me apaixonei também por Marc, doce Marc, irmão mais velho de Émilie e como não sentir emoções tão contraditórias por Malvina, a irmã obcecada de Lyse-Rose. Intenso e surpreendente. Um suspense do início ao fim. Simplesmente sensacional.

Bussi, Michel. O voo da libélula. São Paulo: Arqueiro, 2015.


Read more...

Infinity Drake: Os filhos da Scarlatti - John Mcnally

quarta-feira, 22 de abril de 2015


Se você acha que as vespas são desagradáveis, espere até conhecer a Scarlatti. Ela é um inseto geneticamente modificado que tem um único objetivo: exterminar! Uma equipe pequenina... talvez possa combatê-la. É a nossa esperança! O problema é que a Scarlatti é muito mais poderosa que o exército designado para combatê-la. Além disso, o vilão maquiavélico que a criou não está disposto a desistir tão fácil. Finn e seus companheiros precisam ser rápidos: em pouco tempo a humanidade poderá ser extinta.
Infinity Drake, ou Finn, mora com a sua avó, já que os seus pais, ambos cientistas (isso explica o motivo do menino se chamar Infinity), morreram. Em um dia a avó vai para um cruzeiro de tricô e o garoto precisa passar uns dias com o seu tio Al. DR. Allenby é meio louco, irresponsável, e um cientista que nem Fin e nem a vovó sabem ao certo o que ele faz, porem desde que a sua irmã morreu de câncer, ele criou uma ligação forte com o seu sobrinho, ajudando-o a superar a perda.

O combinado com a avó de Finn é que Al ficaria na casa dela junto com o garoto e com o cachorro da família, mas obvio que isso não é o que acontece. Eles inventam uma doença estranha para a secretaria da escola, deixam o cachorro com uma colega que cuida da igreja, saem para viajar e caçar alguns insetos para aumentar a coleção de Fin, para aproveitar as férias da vovó. Porém, enquanto estão a caminho da mais nova aventura sem regras, uma coisa inesperada acontece: um helicóptero e dois 4x4 da policia começam a persegui-los, e Al se vê obrigado a parar ao saber que ele tem que acompanhar os caras sob ordem do Comandante King, e isso significa que é algo muito, muito sério e urgente.

A partir desse momento, Drake se vê dentro de uma missão que tem o objetivo de destruir a arma mais potente já criada, que pode matar mais de 6 milhões de pessoas: Scarlatti, uma vespa modificada geneticamente e super poderosa, que foi solta por um cientista que queria provar que a sua teoria estava certa, não se importando com o mal que isso causaria. Para completar a missão é preciso uma pequena equipe (literalmente, eles precisam encolher uma equipe para poder manusear o pequeno equipamento que tem que ser instalado na vespa) para salvar o mundo. Drake passa a usar todo seu conhecimento que adquiriu ao ler milhares de livros sobre animais e ciência para ajudar a equipe.  Mas o problema é: eles tem pouco tempo para completar essa missão, e perdem um tempo considerável tentando convencer os lideres dos países mais importantes. Será que eles serão capazes de vencer essa ameaça?

O sol estava brilhando e eles corriam pelo interior da Inglaterra num carro esportivo italiano, indo até o continente num dia de aula com vários equipamentos científicos, uma barraca, dois molinetes, meio tubo de Pringles e nada com o que se importar. Nada poderia ser mais perfeito...

Bom, um dos problemas que encontrei durante a leitura foi a narrativa do livro, ela muda diversas vezes de local (porem são simultâneas), e isso me deixou um pouco confusa, e o outro problema foi que os termos inseridos, mesmo com explicações, me deixaram perdida (tive que pedir ajuda para o namorado apaixonado em ficção e que entende dessas coisas); e esses problemas deixaram a minha leitura super lenta no inicio, o que me fez demorar muiiiito mais que o costume para concluir o livro. E ainda bem que não desisti de ler, porque a trama vale a pena.

As personalidades dos personagens foram super bem descritas, as cenas e tudo mais. Finn nos surpreende com a sua inteligencia e coragem. Al é um personagem bem estranho,e que eu quase nunca entendia o que ele falava por ser técnico demais, mas achei muito legal o fato da ligação forte que ele tem com o sobrinho, e ele sempre acreditar no potencial do garoto. O vilão é um cientista bem arrogante e se acha demais, pensando que nada poderia dar errado com o seu plano, isso acabou me dando uma certa raiva durante a leitura, mas ele é o vilão, acho que essa era a intenção kk. E Scarllati, bom, fiquei com uma pulga atras da orelha, e se ela realmente existe? #medo.

A Novo Conceito está arrasando no selo #Irado, sério, a capa e a diagramação estão ótimas, com cores vivas e fortes, capa dura, letras de um tamanho bom, o que facilita a leitura. Enfim, palmas para a NC, de verdade. Enfim, é isso, apesar dos meus probleminhas no inicio, e do publico alvo ser infanto-juvenil, acho que vale a pena a leitura para quem gosta de ficção-cientifica, e espero que ninguém desista no começo do livro, rs.

Mcnally, John. Infinity Draker: os filhos da Scarletti. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2014.

Sobre o autor

Eduarda GalvãoEduarda Galvão, 18 anos, Brasília. Cheia de esquisitices e manias. Apaixonada por livros e personagens. Louca por filmes e séries. Com mania de colecionar livros, canecas e amores..

Read more...

Top Filme #39

terça-feira, 21 de abril de 2015

Mia Hall (Chlöe Grace Moretz) é uma prodigiosa musicista que vive a dúvida de ter que decidir entre a dedicação integral à carreira na famosa escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam (Jamie Blackley). Após sofrer um grave acidente de carro, a jovem perde a família e fica à beira da morte. Em coma, ela reflete sobre o passado e sobre o futuro que pode ter, caso sobreviva.
Elenco: Chloe Grace Moretz, Mireille Enos, Joshua Leonard
Gênero: Drama


Quando eu recebi este livro para ler, imaginava que iria chorar litros. Todas as referências indicavam esta direção, mas não aconteceu. Mesmo assim fiquei empolgada com o livro, assim como a sua sequência. Neste fim de semana acabei assistindo o livro por acaso e adorei. Achei que seria monótono, mas não. O livro foi muito bem expressado pelo filme, com as emoções na dose certa. Talvez uma cena tenha sido um pouquinho forçada, mas nada que prejudicasse a linda história. Adorei a atriz, que até então não conhecia, mas não simpatizei com o Adam escolhido. Merecia alguém com uma pinta mais "astro do rock". 


Read more...

Momento música #174

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Bom Dia!

Semana de Feriado é tudo de bom, não é mesmo? Pena que para mim será, de trabalho normal. Abril puxado. Mas vamos com música que tudo fica mais leve. Uma música para chorar e relembrar o maravilhoso A culpa E das Estrelas.

Not About Angels  - Birdy


Read more...

Menina de vinte - Sophie Kinsella

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Menina de vinte - Lara Lington sempre teve uma imaginação fértil. Agora ela começa a se perguntar se está ficando maluca de vez. Meninas normais de vinte poucos anos não veem fantasmas, né? Pelo menos era o que ela pensava até o espírito da tia-avó Sadie, que foi uma jovem dançarina de Charleston com ideias avançadas sobre moda e amor, aparecer misteriosamente com um último pedido: Lara precisa localizar um colar que foi dela por mais de 75 anos. Só assim tia Sadie poderá descansar em paz. Além de encontrar a joia, Lara tem que lidar com probleminhas do dia a dia: a sócia foi curtir um romance em Goa, sua empresa está afundando e ela acabou de ser abandonada pelo homem “perfeito”. Nesta divertida história, Lara e Sadie são duas meninas de vinte bem diferentes que vão aprender a importância dos laços familiares e da amizade
Lara Lington não está no melhor momento de sua vida. Sua amiga e sócia se mandou para Goa e mandou avisar que não volta mais, deixando-a na mão com um baita abacaxi para resolver.
Sua empresa de recrutamento não está fazendo o sucesso que ela tenta fazer seu pai acreditar, assim como a sua recuperação após o fim de seu relacionamento com Josh. Sua vida está um verdadeiro caos e ela ainda precisa ir com os pais no velório de sua tia avó de 106 anos, e de quem ela nem se lembra de ter conhecido na vida.  No velório havia poucas pessoas, talvez por isso a situação fosse ainda mais constrangedora, ter que aturar sua irmã insuportável que tinha prazer em colocar sal em suas feridas e também seu tio milionário que não se cansava de soltar seu odioso jargão das duas moedinhas, parecendo um guru de autoajuda. Durante o velório, Lara ouve uma pessoa conversando com ela e fica curiosa, principalmente quando percebe que ela é a única que enxerga e ouve a dona da voz que clama loucamente por seu colar.  Aquela voz fina e arrogante não para de perguntar por um colar que Lara não faz a mínima ideia. Ela começa a acreditar que enlouqueceu e que está vendo alucinações ao ver aquela figura muito alta e magra, cabelos curtos e roupas pouco convencionais para a atualidade. Para acalmar os ânimos, ela resolve se apresentar e quase cai pra trás quando a aparição se apresenta para ela: Sadie Lancaster, a tia de 106 anos que está sendo velada e que será sepultada dali a poucos minutos. E a espevitada Sadie, no auge de sua determinação, deseja a qualquer custo o seu colar de libélulas e insiste para que Lara interrompa o funeral imediatamente. Desesperada por aquela aparição falante que a estava enlouquecendo, Lara acaba mesmo interrompendo o funeral com uma história pra lá de absurda: que sua querida tia avó, no auge da saúde em seus 106 anos, foi assassinada por um complô maquiavélico. É claro que Lara se enrola toda com a história, mas ao menos consegue ganhar tempo e com isto tentar ajudar a sua tia a encontrar o famigerado colar. Sadie é uma pessoa que esteve bem a frente do seu tempo, e passa a perseguir Lara para alcançar seus objetivos, mesmo que para isto ela coloque a coitada em cada enrascada... Mas com o tempo Lara vai descobrir que por baixo daquela carapaça de namoradeira, existe uma linda história desconhecida por todos.
De repente reparo que os olhos de Sadie estão fechados e que ela está cantando baixinho de novo.
É óbvio que só eu seria assombrada pelo fantasma mais esquisito do mundo. Uma hora, está gritando em meu ouvido, na outra, está fazendo comentários, na outra, espionando meus vizinhos... (Pág. 112).
O que se pode dizer do segundo livro da Sophie que leio? Ela é demais! É claro que mesmo com personagens totalmente fora do padrão, ela consegue me arrancar risadas naturalmente, sem piadas insalubres. Os episódios são naturalmente cômicos, com doses certas de humor. A dupla Lara e Sadie é imbatível, mesmo com os absurdos impostos por Sadie. Achei-a boa parte do livro, bem autoritária e bem xarope, mas aos poucos foi se delineando um perfil doce e que desejei não acabar. Humor na dose certa.

Kinsella, Sophie. Menina de vinte. Rio de Janeiro: Record, 2011.

Read more...

Top filme #38

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Baseado no conto da Bela Adormecida, o filme conta a história de Malévola (Angelina Jolie), a protetora do reino dos Moors. Desde pequena, esta garota com chifres e asas mantém a paz entre dois reinos diferentes, até se apaixonar pelo garoto Stefan (Sharlto Copley). Os dois iniciam um romance, mas Stefan tem a ambição de se tornar líder do reino vizinho, e abandona Malévola para conquistar seus planos. A garota torna-se uma mulher vingativa e amarga, que decide amaldiçoar a filha recém-nascida de Stefan, Aurora (Elle Fanning). Aos poucos, no entanto, Malévola começa a desenvolver sentimentos de amizade em relação à jovem e pura Aurora.


Malévola é uma fada Moors e que sofreu uma desilusão amorosa, sendo traída e dilacerada pelo homem que amava. Egoísta e interesseiro, Stefan machuca Malévola cruelmente, com o objetivo de se tornar o rei, alcançando seus objetivos. Ele acaba se casando com a filha do rei e tendo uma filha, Aurora. Ressentida, Maléola joga uma maldição na criança: aos dezesseis anos ela se machucará em uma roca de fiar e irá dormir eternamente. O rei pede misericórdia, então Malévola reverte o feitiço para que, em vez de dormir eternamente, a princesa somente será desperta com um beijo de amor verdadeiro.  O rei então determina que Aurora vá viver escondida na floresta, vivendo como uma simples camponesa na companhia de três fadas. Malévola passa então a acompanhar de perto o crescimento de Aurora e seus sentimentos pela garota, aos poucos vão se transformando em algo puro.

Eu estava doida pra assistir o filme, principalmente por causa da diva Angelina e ainda bem que não tinha pego spoilers. Minha sobrinha até que tentou me dissuadir da ideia, alegando que o filme era muito ruim, mas ainda bem que não conseguiu. O que assistimos é nada mais do que uma mensagem do tipo: cuidado com as aparências. Nem sempre o mau é o mau e o bom é realmente bom. Malévola é uma fada amargurada pelas traições sofridas e acaba se tornando ressentida, mas sem realmente se entregar à maldade. Eu gostei, considerei como uma lição de moral rica e que todos devem refletir.


Read more...

O príncipe das sombras - Sylvain Reynard

quarta-feira, 8 de abril de 2015

O Príncipe das Sombras - Um conjunto muito valioso de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia, de Dante Alighieri, é exposto na Galleria degli Uffizi, em Florença. O dono das peças é o famoso professor de literatura Gabriel Emerson. Quando se deixou persuadir por sua amada esposa, Julianne, concordando em dividir com o mundo a beleza daquelas obras de arte, Gabriel jamais poderia imaginar que estaria atraindo para si um poderoso inimigo. Mais de um século antes, aquelas mesmas ilustrações foram roubadas de seu verdadeiro dono, o Príncipe de Florença, uma criatura sobrenatural e misteriosa que governa o submundo da cidade e há muito não sabe o que é o amor. Agora um dos seres mais perigosos da Itália está disposto a recuperar o que lhe pertence e se vingar de Gabriel e Julianne. Mas logo seus planos são frustrados. Um atentado o obriga a deixar os Emersons de lado, afinal ele precisa resolver assuntos muito mais importantes. Tanto seu principado quanto sua própria vida parecem estar em risco. Passado na cidade mais artística da Itália, O príncipe das sombras é uma incrível introdução à nova série de Sylvain Reynard, Noites em Florença, e vai deixar os leitores com gostinho de quero mais.

O Príncipe de Florença é um dos seres mais perigosos da Itália e tem sede de vingança. Objetos valiosíssimos foram roubados de seu acervo pessoal e estão na posse do professor Gabriel Emerson e sua esposa Júlia. Ele passou mais de um século buscando por suas ilustrações e agora era chegado o momento. Ele espreitava o casal durante a exposição das ilustrações, planejando a forma que iria executar sua vingança de forma que causasse muita dor e sofrimento. Durante a vigília o príncipe é atacado por dez guerreiros que foram vencidos mesmo ele estando sozinho. Imediatamente o Príncipe convocou uma reunião imediata, devido urgência em se descobrir de onde vinha a ameaça e principalmente punir os traidores. Ele sabia que mesmo sendo o soberano, muitos eram o que o queria morto, sabia que era respeitado, mas, mais do que tudo, temido.
O Príncipe observou o diálogo carinhoso com um ressentimento cada vez maior, e deu meia-volta quando o professor começou a beijar a mulher na frente de todo mundo. (Pág.74)
Não dá pra se falar muito de um livro minúsculo, mas capaz de te deixar roendo as unhas de curiosidade. Só serviu pra ficar com gosto de “Quero mais”. Esta introdução é mesmo para nos situar do ambiente em que vive o Príncipe das sombras, e não foi possível delinear de todo o caráter dele. Se ele é um ser cruel ou magnânimo, se ele é um ser frio ou somente amargurado. Podemos identificar vários elementos, dentre eles um saudosismo por parte do Príncipe, um alto teor de sexualidade e de sobrenatural. Eu fiquei muito curiosa com esta nova série, mesmo tendo ficado levemente frustrada com o final da trilogia de Gabriel. Eu quero muito ler e acompanhar esta série.

Reynard, Sylvain. O Príncipe das sombras. São Paulo: Arqueiro, 2015.


Read more...

A mais pura verdade - Dan Gemeinhart

terça-feira, 7 de abril de 2015

A Mais Pura Verdade - Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.
Mark tomou uma decisão na sua jovem vida e está determinado a cumprir seus objetivos a qualquer preço. Mesmo que para isso ele faça sofrer seus pais e seus amigos. Decidido, ele sai de casa com algumas provisões e seu amigo mais do que fiel, seu cão Beau. Sua primeira etapa é vencer suas dores, as náuseas, os inconvenientes de sentir fome e não conseguir comer, as famigeradas dores de cabeça... Ele só deseja realizar um sonho. O sonho que prometeu ao seu avô, de escalar o Monte Rainier. E é lá que ele deseja estar agora, mais do que tudo. Somente ele e Beau. Mas a jornada não está sendo fácil. Para isto ele conta em despistar aqueles que o procuram, ignorando o desespero e a dor de seus pais, assim como a preocupação por sua saúde. Mark se entregará ao seu sonho, driblando as dores e os temores, ficando a saudade dos pais e de sua melhor amiga Jessie, mas as lembranças de todas as fases de sua vida em que precisou abrir mão de alguma coisa em função da sua doença invadem sua mente, fortalecendo sua determinação. Para Mark não há outro caminho a seguir, a não ser se entregar ao seu destino realizando um sonho: no alto do Monte Rainier.
Eu queria morrer ali, na calçada de uma cidade para o qual eu não dava a mínima. Toda a minha vontade de lutar estava perdida. (Pág.47)
Falar de um livro pequeno e tão intenso, mas sem spoiler não é fácil. Mark é um garoto surpreendente que tomou uma decisão muito difícil e complicada. Vitima de uma doença muito triste desde novinho, sua vida praticamente foi entrando e saindo de hospitais. Com esta rotina, não foi possível estabelecer muitas amizades, apenas de Jessie e de seu cachorro Beau,  para ele são amizades verdadeiras para toda a vida. Mas chega um momento em que ele se cansa e resolve mudar o destino, mesmo que de forma nada convencional. Só mesmo quem está passando por este sofrimento para explicar, e não é possível nos colocarmos em seu lugar ou mesmo julgar. Emocionante e corajoso.

Gemeinhart, Dan. A mais pura verdade. Ribeirão Preto, SP: Novo conceito Editora, 2015.

Read more...

Momento música #173

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Bom dia!


Que esta semana que se inicia, seja para todos abençoada e produtiva.
Uma das coisas que admiro é quando músicas antigas que adoramos ganham nova roupagem. Eu não ligo se ela tem algumas pequenas alterações, desde que a essência seja conservada. Em algumas vezes a música fica até melhor do que o original, mas isto acontece mais quando ela sai de um estilo que não aprecio tanto, para outro que adoro. Mas esta música eu já gosto muito da versão original e esta nova versão também ficou muito legal. O que acharam?


What a wonderful world - Tiago Iorc



Read more...

O poder da espada - Joe Abercrombie

quinta-feira, 2 de abril de 2015

O Poder da Espada - Sand dan Glokta é um carrasco implacável a serviço da Inquisição de Sua Majestade. Nas mãos dele, os supostos traidores da Coroa admitem crimes, apontam comparsas e assinam confissões – sejam eles culpados ou não. Por ironia, Glokta é um ex-prisioneiro de guerra que passou dois anos sob tortura. Mas isso nunca teria acontecido se dependesse de Logen Nove Dedos. Ele jamais deixaria um inimigo viver tanto tempo. Só que isso foi antes. Agora ele está decidido a mudar. Não quer ser lembrado apenas por seus feitos cruéis e pelos muitos inimigos que se alegrarão com sua morte. Já a felicidade do jovem e mulherengo Jezal dan Luthar seria alcançar fama e glória vencendo o Campeonato de esgrima, para depois ser recompensado com um alto cargo no governo que lhe permitisse jamais ter um dia de trabalho pesado na vida. Mas há uma guerra iminente e ele pode ser convocado a qualquer momento. Luthar sabe que, nos campos do Norte gelado, o embate segue regras muito menos civilizadas que as do esporte. Enquanto a União mobiliza seus exércitos para combater os inimigos externos, internamente se formam conspirações sanguinárias e um homem se apresenta como o lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, retornando do exílio depois de séculos. Quem quer que ele seja, sua presença tornará as vidas de Glokta, Jezal e Logen muito mais difíceis. Agora a linha que separa o herói do vilão pode ficar tênue demais.

Quatro personagens que nem de longe inspiram o heroísmo, mas que serão unidos para enfrentar uma batalha. Logen é um guerreiro nórdico que enfrentou muitas batalhas e muitas perdas. Conhecido como Nove dedos ou Nove sangrento, conhecido por não deixar escapar nenhum inimigo. Sand dan Glokta já viveu seus momentos áureos de glórias. Foi o melhor soldado, homem mais forte, esgrimista mais perfeito, mas após ser capturado em uma das guerras, sofreu grandes atrocidades. Torturado por dois anos, pouco sobrou de seu esqueleto, tornando-se um homem amargo e doentio. Honesto, mas seu maior prazer era ver o sofrimento no rosto de outra pessoa. Por causa das torturas que sofreu, dentre elas ter arrancado parte dos seus dentes, ele sofre terríveis dores e muitas limitações físicas, sendo necessário o auxílio de alguém para tarefas mais simples. Jezal dan Luthar é um almofadinha, filho de nobres que lhe comprou um cargo no exército. Narcisista, arrogante e medroso, ele treina diariamente para enfrentar os jogos esportivos, buscando a glória, mas principalmente agradar seu pai, pois na verdade ele não se interessa coisa nenhuma, por nada. Somente em ser o melhor, mas sem grandes esforços, e Bayaz. Um lendário Mago, que foi o primeiro grande Mago. Tudo começa quando Glokta começa a investigar uma reles denúncia de sonegação de impostos, mas os acontecimentos tomam rumos inesperados. Principalmente por que Bethod, que se autonomeou rei de um país vizinho, está determinado a invadir e dominar. Uma guerra se aproxima da União, muitos interesses obscuros estão sendo ameaçados. Quem seria na verdade o verdadeiro inimigo?
-Isso lhe dá medo? – perguntou Bayaz.
- Tudo me dá medo e é bom que seja assim. O medo é amigo dos que são caçados, ele me manteve vivo por todo esse tempo. Os mortos não tem medo, mas não tenho intenção de me juntar a eles. (Pág. 178)
Comecei a ler o livro sem saber muito que esperar. O que aconteceu de inicio foi que a leitura foi muito arrastada. Mais do que eu esperava. Mas isso se dá porque, o livro é abundante em detalhes. Ele pega cada personagem e destrincha seu passado, suas características e sua personalidade. Chocou-me o nível de crueldade, pois as cenas de torturas são cruéis e intensas de uma forma muito realista.  A leitura é lenta mesmo, mas vale a pena e me surpreendi ao final, já querer o próximo livro para descobrir o rumo desta aventura.

  • O poder da espada
  • Antes da forca
  • O duelo dos reis
Abercrombie, Joe. O poder da espada. São Paulo, Arqueiro: 2013.



Read more...

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados