O primeiro telefonema do céu - Mitch Albom

quarta-feira, 4 de março de 2015

O Primeiro Telefonema do Céu - Como você se sentiria se um dia recebesse uma ligação de alguém que ama muito e que já se foi? Numa sexta-feira comum, o telefone de Tess Rafferty toca. É sua mãe, Ruth, que morreu quatro anos antes. Em seguida, Jack Sellers e Katherine Yellin recebem ligações semelhantes, do filho e da irmã, também já falecidos. Nas semanas seguintes, outros habitantes de Coldwater afirmam que estão em contato direto com o além, e que seus interlocutores lhes pediram para espalhar a boa-nova ao maior número possível de pessoas. A mensagem é simples: o céu existe, e é um lugar onde todos são iguais. Em pouco tempo, correspondentes de diversos meios de comunicação aportam na cidade para transmitir os desdobramentos do fenômeno que pode ser o maior milagre da atualidade. Visitantes do país inteiro começam a surgir, as vendas de telefone disparam e as igrejas se enchem de fiéis. Apenas uma pessoa desconfia da história: Sully Harding, ex-piloto das Forças Armadas. Após quase morrer num desastre aéreo, perder a mulher e cumprir pena por um crime que não cometeu, ele não acredita num mundo melhor, muito menos após a morte. E quando seu filho pequeno começa a esperar uma ligação da mãe morta, ele decide provar que estão todos sendo enganados. O primeiro telefonema do céu é uma história de mistério e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o poder da conexão humana. Em uma narrativa que vai tocar sua alma, Mitch Albom prova mais uma vez por que é um dos autores mais queridos da atualidade.
Um acontecimento inesperado toma conta da pequena Coldwater quando alguns dos seus moradores anunciam ter recebido telefonemas de entes queridos e até mesmo um ex-funcionário que já morreu. O certo é que alguns receberam a notícia com cautela e outros com esperança de ser o próximo a ser agraciado com tão belo milagre. Tess Rafferty não sai mais de casa e não deixa ninguém atender o precioso telefone da cozinha. Katherine Yellin não desgruda mais do celular cor de rosa de sua irmã, esperando por uma ligação dela. O chefe de polícia Jack Sellers precisa ser forte ao ouvir a voz do filho que foi morto na guerra e Elias Rowe foge assombrado quando um ex-funcionário falecido lhe telefone para lhe cobrar. Todos reagem de forma diferente, mas não há como negar que todos ficam mexidos com os últimos acontecimentos. A cidade começa a ser invadida por repórteres de diversos lugares, em busca de um furo de reportagem, os moradores começam a ser assediados a qualquer lugar que estejam e o único que não acredita em nenhum momento é Sullivan Harding, um ex piloto que sofreu um grave acidente, foi expulso das forças armadas, julgado e preso ao mesmo tempo que perdia sua amada esposa. Depois de cumprida sua pena, lhe resta apenas o recomeço doloroso sem a esposa e criar o filho que assim como os demais moradores, anseia por um telefonema do céu.
Desde que as religiões existem, existem os amuletos – pingentes, anéis, moedas, crucifixos – assim como a crença das pessoas em seus poderes benéficos. Da mesma forma que os antigos fiéis mantinham esses amuletos por perto, Katherine Yellin agarrava-se agora ao celular rosa que pertencera à irmã. (Pág.73)
Uma história que me emocionou muito, pois quem não gostaria de ser possível conversar com um ente que muito amamos e que já partiu? A história resume bem esta contradição de sentimentos, esperanças e fé. Enquanto alguns ficaram maravilhados com os telefonemas do céu, outros consideraram que só contribuiu para alimentar a dor. A maneira que cada um alimenta a sua fé é pessoal, mas é quase unânime a vontade de que aquele ente volte. Ao longo dos capítulos temos também a história da invenção do telefone e que achei extremamente curioso. É justo destruirmos os sonhos dos outros? Destruirmos a sua fé? Gostaríamos que o fizessem com os nossos? A história me levou a refletir na verdade de cada um, que alimentamos e nos movem. Recomendo para que possamos refletir sobre o certo e o errado, o justo e o injusto. E principalmente refletir na grandeza e mistérios do universo.

Albom, Mitch. O primeiro telefonema do céu; São Paulo, SP: Arqueiro, 2014.


1 Comentário:

Fabrica dos Convites 4 de março de 2015 16:36  

Oi Márcia, fico imaginando o que eu faria se recebesse um telefonema deste. Com certeza cairia para trás...
O livro tem tudo para emocionar mesmo, pretendo ler também.
Bjs, Rose

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados