Como (quase) namorei Robert Pattinson - Carol Sabar

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

"Quando abro os olhos, ali estou eu. Deitada de bruços na areia da praia. E Robert Pattinson está passando óleo bronzeador nas minhas pernas". >> Aos 19 anos, Duda é literalmente viciada na saga Crepúsculo. Já perdeu a conta de quantas vezes leu os livros da série e assistiu aos filmes. Através de um perfil secreto na internet, ela se comunica com outras fãs do Crepúsculo que, assim como ela, estão totalmente convencidas de que não há garoto no mundo que valha um dente canino do vampiro Edward Cullen. Sua obsessão ganha fôlego com uma temporada de estudos em Nova York, onde ela faz planos mirabolantes para conhecer pessoalmente Robert Pattinson, o ator que interpreta o vampiro nos cinemas. Mas, após um incidente com seus únicos (e insubstituíveis!) livros da saga, Duda entra em verdadeiro surto de desespero. Percebe, então, que uma mudança radical em seu comportamento “crepuscólico” é mais do que urgente. O que ela não esperava era conhecer Miguel Defilippo, seu vizinho na ilha de Manhattan, que é a cara do ator Robert Pattinson! Apaixonante, lindo, rico, misterioso e ambíguo, Miguel acaba se tornando um desejo mais inacessível para Duda do que o próprio astro de Hollywood. Uma história cheia de humor, aventuras e reviravoltas, para você chorar de rir!

Eduarda é uma jovem de dezenove anos, obsessivamente fã da Saga Crepúsculo e consequentemente apaixonada pelo Robert Pattinson, o verdadeiro. Os seus livros da Saga têm marcação nas principais falas em que ela é apaixonada, marcações e comentários. Ela é tão, mas tão apaixonada pelo Robert a ponto de carregar uma foto na bolsa, para todo o canto que vai. Ela vive com uma irmã e uma prima no Rio de Janeiro, mas estão de mudança por uma temporada para Nova York, junto a mais uma amiga que também não é muito certa da cabeça, Margô. Eduarda e a irmã Susana vivem em pé de guerra, mas ela se dá maravilhosamente bem com sua prima Lisa, que sempre dá o maior apoio para as loucuras de Eduarda. Ninguém sabe, mas até conselhos no Orkut ela dá para os seguidores de Crepúscólica, seu pseudônimo. De partida para Nova York, elas estão extremamente felizes com esta nova experiência, viver em um país estrangeiro, aprender uma nova língua, assistir ao Late Show em uma entrevista do Robert Pattinson, bom, isso é nos sonhos de Eduarda que já fez mais de trezentas inscrições para o programa. Mas enfim, elas se mudam para Nova York, e vão morar em um simpático apartamento que pertence a dois irmãos brasileiros. Augusto elas conheceram no Rio, mas seu irmão Miguel vive em Nova York, no mesmo prédio em que elas irão morar pelos próximos seis meses. Muito empolgadas, é uma mancada atrás da outra e Eduarda começa por acidentalmente trancar seus amados livros no cofre sem senha que existe dentro do seu guarda-roupa. Desesperada, ela aguarda por dias pelo proprietário do imóvel para pedir a senha, mas sem sucesso. Iniciam-se as aulas de inglês e ela acaba por conhecer Pablo, um espanhol charmoso e que acaba se tornando seu melhor amigo e companheiro de aventuras e ela até consegue, por uns poucos dias, esquecer-se dos livros trancados dentro do cofre. Até que em um belo dia, retornando para casa, ela descobre que o vizinho e dono do apartamento está em casa. Eduarda não consegue resistir de tanta ansiedade e vai até o vizinho pedir a senha do cofre, mas ela é surpreendida quando à porta, ela é atendida por um jovem usando apenas toalha e que é uma cópia quase fiel do Robert Pattinson, e ela cai dura desmaiada.
Nem delirando! Nem delirando consigo ser um pouco menos patética. Será que me custava pelo menos fantasiar com o Robert verdadeiro? Em vez desse... Robert Paraguaio de tatuagem no braço, sotaque americano e músculos aparentes? Tudo bem. Tenho de admitir que esse vulto sentado do outro lado da cama é indescritivelmente deslumbrante, o homem mais lindo que meus olhos já viram (é uma pena que vá esmaecer e sumir no espaço a qualquer instante). Mesmo assim... É pirataria pura. (Pág.102)
Este é o segundo livro que li da autora Carol Sabar, e confesso que fui impulsionada pelo livro Azar o seu, que me parece, é o segundo livro lançado pela autora. O livro Azar o seu é incrivelmente hilariante, e se quiser conferir a resenha aqui, me deu um gás incrível para conhecer este livro tão comentado. Comparando entre os dois, eu gostei muito mais de Azar o seu, mas acho que é mesmo porque ele foi o primeiro, e tal. Mas ambos possuem duas protagonistas muito doidonas e divertidas. Eduarda tem seus momentos, e muitos, de fã obcecada e chata, mas também tem suas divagações que são totalmente surtadas. Acho que é por isso que achamos os livros divertidos, pois ela surta geral. Eu me considerei muito fã da saga crepúsculo e confesso que li os livros quatro vezes, mas ela é pirada de pai e mãe. Mesmo assim muito divertida e gostei das doidices dela.

Sabar, Carol. Como (quase) namorei Robert Pattinson. São Paulo: Jangada, 2011.


2 Comentários:

Evelise Ciriraco 7 de janeiro de 2015 10:41  

Oi Márcia!
Tenho muita vontade de ler os livros da Carol! Os dois parecem super divertidos, sem contar que eu adoro essas personagens surtadas kkk
Como também sou fã de Crepúsculo, não tanto quanto antes, mas não dá para esquecer da saga que me fez começar a ler livros "grandes", acho que vou me identificar com a protagonista!
Bjs
sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

Tatiana Leite 9 de janeiro de 2015 21:49  

A Duda é tão pirada que eu AMEI esse livro! Ainda não li o Azar o Seu, mas já que gostei muito desse, aposto que vou gostar ainda mais do segundo!

Adorei sua resenha, Márcia! <3
Beijos!

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados