Sociedade dos Meninos Gênios - Lev Ac Rosen

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Sociedade dos Meninos Genios

Chantagem, mistério, confusões de gênero, coelhos falantes e um assassino autômato: mergulhe na trajetória de Violet Adams, que assume a identidade de seu irmão gêmeo para conseguir uma vaga na mais prestigiada universidade de Londres, que é exclusiva para meninos. Inspirado em clássicos como Noite de reis, de Shakespeare, e A importância de ser honesto, de Oscar Wilde, SOCIEDADE DOS MENINOS GÊNIOS traça um retrato pitoresco e provocativo da aristocracia vitoriana, oferecendo diversão, aventura e uma reflexão bem-humorada sobre a questão do gênero.
Violet Adams tem interesses diferentes da maioria das garotas de sua idade, ao invés de estar procurando pretendentes para em breve se casar, tudo o que ela quer é entrar para Faculdade de Illyria, em Londres, e ser reconhecida no mundo cientifico, mas isso não é tão facil o quanto ela queria, vivendo em meados dos anos 80, a maioria das mulheres não tem direito nem de pisar na faculdade. Filha de um dos mais importantes astrônomos da Inglaterra vitoriana, a sua paixão pela ciência, que pode-se dizer está em seu sangue, faz com que ela crie um plano muito perigoso juntamente com o seu irmão gêmeo.

Aproveitando que seu pai vai para a América do Sul e permanecerá por um ano longe deles, Violet e Ashtom tramam o seguinte plano: eles irão para Londres, com o pretexto de que Violet estará procurando um pretendente e aprendendo a portar-se como uma dama, porém, a garota se passará pelo irmão para entrar na faculdade, enquanto o mesmo se dedica à poesia, a sua paixão proibida por rapazes e sua vida boêmia. Para ajudar no plano, Jack, um amigo de infância, ajuda ela a aprender a se portar como um cavalheiro. E ela pretende se revelar como mulher apenas no final do ano, após todos verem a sua inteligência, e que o fato de ser mulher não muda nada.

E assim o fazem, arrumam as malas, vão para Londres, Violet entra na faculdade; porém, nem tudo são flores, logo em seu primeiro dia, Violet é descoberta pela madrinha do Duque de Illyria, uma das duas mulheres com acesso à faculdade, mas a mulher não entrega a garota afim de ver se a mesma terá sucesso com o seu plano. Cecily, uma jovem protegida do Duque, e a outra que tambem tem acesso à faculdade, acaba se apaixonando por Violet (achando que ela é o Ashtom). E para complicar ainda mais o seu ano, que ela esperava que fosse conseguir leva-lo tranquilamente, a garota começa a gostar do Duque de Illyria, que corresponde este sentimento, porém, estranha por se sentir atraído por seu aluno brilhante, na verdade, é uma garota.

E para finalizar, ...ou melhor, começar a confusão maior, Violet e seus colegas começam a suspeitar que alguém está criando algo perigoso no porão da faculdade. E mal sabem ele que o problema é ainda maior do que imaginam, que aquele lugar esconde segredos que podem envolver até uma sociedade secreta e a dominação mundial.

Ela mostraria ao mundo – ou pelo menos ao mundo científico – que as mulheres eram iguais aos homens em todos os sentidos.

 Bom, é bem legal ver que o gênersteampunk, esteja ficando cada vez mais popular aqui no Brasil. E este livro é mais um deles. Apesar de conter muitos personagens na história, eu não fiquei perdida com eles (me perco fácil com nomes), todos com personalidades próprias e explicitas, e todos acrescentando algo na história. A narração é em terceira pessoa, o que nos permite ter várias visões da história, e isso é uma coisa que acho bem legal. E apesar do livro ser enorme, a leitura flui bem e seria uma leitura rápida se eu estivesse com tempo para ler. 

Achei os temas abordados durante a história muito bons, primeiro o preconceito que várias mulheres tiveram que enfrentar para poderem exercer ao menos um pouco de sua liberdade que deveriam ser dada, porém a repressão o tomou das mulheres por muitos anos. Mulheres que conseguiram provar que inteligência não é questão de gênero e conseguiram os seus lugares no mundo (algumas delas). E o segundo foi o homossexualismo que foi abordado através de Ashtom, o que, ao menos para mim, é difícil de se encontrar em livros que se passam nessas décadas anteriores.

Sobre a edição, achei que a Novo Conceito acertou em cheio não seguindo o titulo original (“All men of genius”, o que seria“todos os homens de gênio/ Todos os homens geniais”), porque acho que em português fica muito estranho, e "Sociedade dos Meninos Gênios" se encaixa bem na história. A capa também combina muito com o enredo, o fundo com engrenagens que é a marca do steampunkA tradução estava boa, encontrei apenas errinhos que não atrapalharam a leitura, como palavras escritas junta.

Enfim, achei que esta leitura valeu a pena, apesar de eu ter demorado para conclui-la (por motivos de: os professores da faculdade me entupiram de trabalhos) ela foi bem agradável. É um livro que recomendo bastante, principalmente para quem quer entrar agora no gênero.



ROSEN, Lev Ac. Sociedade dos Meninos GêniosRibeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2014.

sobre o autor

Eduarda GalvãoEduarda Galvão, 18 anos, Brasília. Cheia de esquisitices e manias. Apaixonada por livros e personagens. Louca por filmes e séries. Com mania de colecionar livros, canecas e amores..

Comentários:

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados