Adeus à inocência - Drusilla Campbell

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?
Madora nunca se recuperou do suicídio do pai. Era difícil para ela entender a decisão de seu pai e sua mãe não tinha o pulso necessário para controlá-la. Por isso aos 17 anos ela estava à um curto passo de se deteriorar para as drogas quando ela conheceu Willis Brock. Por um período de tempo, ele deu a ela uma nova visão da vida. Para Madora ele era seu herói, seu salvador e faria de tudo para não contrariá-lo.
Por muito tempo ela considerou as esquisitices de Willis um comportamento normal. Afinal tudo o que ele queria era se tornar um grande médico e para isso tudo era aceitável: viverem isolados no deserto de Yuma, ela não falar mais com a mãe, não poder trabalhar, desistir de seus próprios sonhos...
Até Linda chegar, Madora passava seu tempo resgatando pequenos animais feridos e cuidando deles, mesmo que contrariasse Willis. E agora Willis resolveu ajudar Linda, uma garota de rua, largada e grávida.
Pobre infeliz. Madora sabia o que significava ser jovem e perdida, com medo de tudo e fingindo nada temer. (Pág47)
Agora Madora tem que lavar, limpar e cozinhar para Linda, lhe tirando o pouco de liberdade que ela tinha, pois estas são as determinações de Willis. Madora começa a perceber uma realidade diferente. Ela começa a entender que as razões de Willis estão longe de ser aceitáveis pela sociedade, e ela está começando a se amedrontar.
Django é um garoto de 12 anos com uma inteligência acima da média. Ele tinha uma vida feliz com o seu pai, um antigo astro do rock e sua amorosa mãe, até que eles se foram e ele teve sua vida revirada pela perda dos pais e foi morar com uma tia que nunca conheceu.
Madora e Django, duas criaturas que se tornaram produtos da solidão e que seus destinos irão se cruzar transformando a vida de cada um deles de uma forma incrivelmente inesperada.

Antes de começar a leitura, eu tinha lido somente a resenha da Fernanda do Viagem literária e ela tinha gostado muito do livro, e então fiquei animada. Confesso que o livro não é nada daquilo que eu esperava, mesmo assim, não menos surpreendente. Acredito que devam existir no mundo várias formas de sequestro e neste livro podemos assistir o sequestro físico e o emocional. Teve vários momentos que eu senti uma raiva de Madora, por sua apatia e passividade, e ao mesmo tempo um transbordo de piedade por uma alma tão carente. Uma semana após concluir a leitura eu ainda me pegava pensando em Madora, em seu destino, em suas decisões. Para mim, caberia mais um capítulo, pois é impossível não se criar na mente, um futuro para os personagens. 

Campbell, Drusilla. Adeus à inocência. Ribeirão Preto, SP. Novo Conceito Editora, 2013. 



Comentários:

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados