O livro da loucura e das curas - Regina O'Melveny

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Meu pai se fora, meu marido morrera e meu coração silenciara. Gabriella Mondini é uma médica com estranhos poderes de cura, poderes que vão além de seus conhecimentos científicos. No fim do século 16, uma mulher médica — e tão sensível quanto ela — é praticamente uma heresia. Assim, se quiser continuar praticando a medicina, deverá ter o aconselhamento de um homem.
Seu pai, também médico, seria o conselheiro ideal, mas ele a abandonou há dez anos: saiu em busca de curas inimagináveis por uma Europa cheia de crendices e magias. E, agora, por meio de suas poucas cartas, é possível perceber que sua sanidade mental está desaparecendo.
Disposta a reencontrar o pai e, quem sabe, salvá-lo a tempo de continuar praticando a medicina, ela atravessa os Alpes da Suíça e os campos da Alemanha, encontra-se com os maiores médicos da Europa e caminha por cidades e vilarejos estranhos até chegar ao Marrocos.
A jovem médica enfrentará caminhos que lhe ensinarão o que é viver no mundo dos clínicos e herboristas daquela época; um mundo onde as praças públicas exalam cheiro de corpos queimados, onde ervas exóticas destroem todos os desejos e onde doenças como a Inveja (“um verme invisível”) saem do corpo dos mortos para destruir os vivos...
Até o fim de sua aventura, ela tentará conquistar a sabedoria tão desejada, mas também terá que lidar com o conhecimento dos segredos de sua família, que são, afinal, os seus próprios segredos.


O’Melveny, Regina
            O livro da loucura e das curas / Regina O’Melveny. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2013.

                        “Comecei a refletir mais profundamente sobre meu desejo de encontrar meu pai. O quanto eu o conhecia? Talvez seja por isso que eu levava as cartas comigo e as lia com o hábito devotado que uma mulher poderia aplicar à leitura do Livro das horas.” (Pág. 224).


Gabriella Mondini é uma mulher à frente de seu tempo. No fim do século 16, quando as mulheres não tinham direito de opinião ela era uma médica dedicada e tenaz. Ela seguiu a carreira de médica encantada por assistir e auxiliar seu pai com os pacientes e contrariando a mãe que insistia para que ela fosse uma menina comum. Mas Gabriella tinha um dom que não podia ignorar e fazia de tudo para ajudar a quem precisasse. Quando seu pai viaja pelo mundo para estudar as plantas e completar o livro que escreviam juntos, Gabrielle ficou sozinha tendo que aguentar os humores da mãe e com a tarefa de cuidar dos doentes e dar continuidade ao livro. Ela era auxiliada pelo fiel casal Olmina e Lorenzo que praticamente a criaram, até que pela longa ausência do pai ela é proibida de medicar, sua grande paixão. Ao longo dos dez anos em que o pai viajou, ele sempre escrevia para Gabriella, narrando os locais e tudo o que encontrava. Até que um dia ele escreveu uma última carta, avisando que não haveria mais e que ela não o procurasse. Desesperada e inconformada ela toma a drástica decisão de seguir o caminho citado em cada carta, em busca do seu pai, corajosamente acompanhada pelo fiel casal de empregados. Ao longo desta perigosa jornada, passando por vários países da Europa, ela enfrenta situações adversas ao universo feminino, onde sua capacidade como médica é questionada e pode até levá-la à fogueira, ao mesmo tempo em que agrega seus conhecimentos medicinais, trocando experiências com todos os tipos de praticantes de medicina e herboristas, arriscando sua vida e dos amigos.   Enquanto enfrenta todos os riscos para encontrar com o pai, ela vai se deparando com aqueles que conviveram com ele durante sua viagem, surpreendendo-se com as narrativas que de nada lembram sua personalidade. Comecei a ler o livro com a curiosidade no ponto mais alto. Ele tem uma belíssima capa e a sinopse realmente me interessou. O amor de Gabriella pelo pai é engrandecedor e sua perseverança em encontra-lo é um atrativo a mais na narrativa. Porém me incomodou a lentidão. A leitura não fluiu no ritmo que estou acostumada e em alguns momentos fiquei até cansada, mas isto não diminui o brilho da narrativa. A bravura de uma mulher que sai atravessando a Europa, enfrentando perigos e desafios nos faz apaixonar. É uma bela história com uma pincelada poética do amor entre pai e filha.  

2 Comentários:

Erika Marinho 8 de novembro de 2013 08:45  

Tenho muito vontade de ler esse livro. Já vi algumas resenhas de pessoas que não gostaram do livro, mas lendo a sua resenha aumentou ainda a vontade de lê-lo.

Bjus
http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

Adriana 13 de novembro de 2013 09:35  

Sempre achei a capa desse livro linda e por ela e a sinopse eu leria, mas ai comecei a ler varias resenhas negativas e ai desanimei, mesmo tendo uma narrativa poetica, como voce mesma diz, acho que a lentidão da mesma é o ponto que mais me deixa apreensiva nessa leitura, porque uma história cansativa, não me cativa, não flui a leitura, infelizmente não tenho mais vontade de ler. Parabéns pela ótima resenha, bjão! :)

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados