Ahmnat , Os amores da Morte - Julien de Lucca

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Lucca, Julien De
Ahmanat, os amores da Morte – Julien De Lucca. Belo Horizonte: Gutemberg, 2011.

 “Eu sou Morte. Você foi apenas um instrumento em minhas mãos para derrotar o Filho de Deus e impor a justiça no mundo dos homens. Minha justiça.” (Pág.124).

Desde bebê ela era irremediavelmente apaixonada pela mãe. Para ela sua mãe era sua deusa e Ahmnat sua discípula, uma vivia para outra e não havia mais nada ou ninguém entre elas. Ela tem também dois irmãos, e moravam todos juntos próximo à margem do Nilo. Seus irmãos colocavam comida dentro de casa, mas praticamente as ignorava e havia muitas brigas em casa. Uma noite, quando já tinha dezessete anos, um dos seus irmãos chegou em casa com alguns amigos, todos embriagados e tiraram Ahmnat de casa. A levaram para um local distante da casa e tentaram violenta-la, antes que o pior acontecesse, Ahmnat foi salva por uma entidade alada e que ela via apenas a silhueta e ouvia sua voz retumbante. O ódio já está lhe tomando o coração e Ahmnat é hostil com seu salvador. Ele então revela a Ahmnat que devido a sua condição virginal e pelo mais puro amor que ela tem pela mãe, ela foi escolhida para gerar uma criança. Ahmnat se revolta mais ainda, mas não pode se recusar, pois conforme aquele ser lhe revelou, este era seu destino. Esta misteriosa gravidez não foi vista com bons olhos por ninguém e Ahmnat foi ainda mais discriminada, até mesmo por seu irmão e sua mãe. Torturada por constantes pesadelos, ela sente-se tentada a acabar com a própria vida para impedir que aquela criança nasça. Mas aquela entidade que ela chamou de Maldito, sempre estava por perto para lhe cobrar o compromisso. Então para se ver livre desta perseguição ela propõe uma troca: ela irá gerar a criança até o fim, mas vai querer algo em troca ao fim da gravidez, e assim foi feito. Muitas tragédias familiares acontecem então com Ahmnat e é com muito sofrimento que ao fim da gravidez, perseguidos pela população, a casa onde ela mora com a mãe e o irmão é incendiado. Durante o tumulto a criança nasce. Revoltada pela morte da mãe e por todo o sofrimento a que é submetida, com o coração transbordando de ódio ela grita:
“Maldito... torne-me morte.”
E assim acontece. Mas Ahmnat não estava preparada para o que lhe acontece. Diferente do que ela esperava, seu corpo morre, mas seu espírito permanece vivo e servirá na função de Morte, a guardiã das almas que são levadas ao limbo para o julgamento após a morte.
Surpreendida com a nova missão, ela é treinada até assumir seu posto. Assim como o ocupante anterior, ela é desafiada por Destino: Ele se propõe a criar dez mortais perfeitos e que Morte irá se apaixonar. Por um deles ela irá fraquejar e perder a aposta, e quando isto acontecer ela se tornará mortal novamente, retornando a terra. Mas caso o contrário aconteça e ela não se apaixone, será Destino que se tornará mortal.  
Ahmnat aceita a aposta, mas também irá se mostrar uma entidade com personalidade forte que causará grandes transtornos, não só entre as entidades sagradas, mas também aos humanos e ao próprio Diabo.

Eu vi este livro na Bienal SP e me apaixonei pela capa, assim como pela sinopse e trouxe o livro. Assim como tantos outros, estava na estante aguardando, até que a Marcella o escolheu para a leitura do mês do clube das Chocólatras. Confesso que não foi uma leitura fácil. Achei tanto o texto quanto a história pesados. O livro tem dez capítulos distribuídos em 366 páginas, ou seja, capítulos enormes. Eu tenho alguma dificuldade com capítulos grandes demais, pois a leitura não rende. Ao longo do livro fiquei sempre com a sensação de que a história fugia da sinopse, pois pouco se falou dos “amores da morte”, mas muito se falou das guerras entre os seres do céu, do inferno e a própria Morte. Por que sim, esta é tinhosa. Rebelde, desbocada, sarcástica. Ela desafia tanto o Céu quanto o Inferno, não tem medo de nada e chega a ser cruel com a humanidade. Mas ainda é possível sentir nela a sua sempre presente humanidade. Pois o principal problema era que, por ser imortal, ela era humana demais. Facilmente se perdia as estribeiras e fazia até mesmo muitas idiotices. O tempo todo durante a leitura eu pensei em dar nota 2, mas ali no finzinho do livro ele conseguiu me despertar o interessa do início o livro, mas ainda assim fico com nota 3, mas ele também conseguiu me despertar o interesse de ler a sequência, o que é legal, pois durante a leitura de 2/3 do livro eu não tinha conseguido gostar do livro mas agora eu fiquei curiosa com o destino de Ahmnat. Recomendo o livro, mas não faça como eu, pegando o livro achando que será uma envolvente história de amor, mas como uma história de muitos conflitos e batalhas. 




8 Comentários:

Livroterapias 31 de julho de 2013 16:04  

Gostei do estilo do livro!
Não conhecia, dica anotada!
Beijinhos
Rizia - Livroterapias

Yasmim Namen 1 de agosto de 2013 00:17  

A capa é linda, mas gostaria de saber mais, se é muita ação, tem tragédias detalhadas ao extremo e pouco amor..
Como tem sequência só vou pegar pra ler quando todos forem lançados. ^^
Beijos!
nyasmim.blogspot.com.br

Luciana Mara 1 de agosto de 2013 08:00  

Ei Márcia!

Ihhh... além de tudo, ainda tem capítulos grandes?
Acho que tem tanto livro bom no mundo que não dá pra perder tempo lendo um que, na maior parte do tempo, foi 2 estrelas, né?! rs

vou deixar mesmo este passar.

Bjins

Lilian Gabriella 1 de agosto de 2013 18:57  

Mesmo com as suas 3 estrelas, eu gostei muito desse livro. Estou curiosa pra lê-lo a muito tempo, fico feliz que você tenha feito uma resenha sobre ele.

Julien De Lucca 4 de agosto de 2013 13:57  

Nada melhor do que resenhas e feedback dos leitores e fãs! Agradeço os elogios e as críticas construtivas! No segundo volume, eu escrevi capítulos mais curtos, coloquei mais romance e ligações pessoais e um pouco mais de intriga e mistério :) Espero que gostem bastante!

Julien De Lucca

Fernanda Assis 5 de agosto de 2013 10:53  

Ei Márcia,

Ah eu ainda não decidi se quero ler, pela resenha no clube eu fiquei empolgada com o enredo, mas com o pé atrás com alguns problemas, capítulo enorme não funciona bem neste tipo de trama.
Acho que vou esperar você ler o segundo para me decidir hehe
bjs

Ana Alves 4 de setembro de 2013 20:41  

Oie!
Não curti a temática do livro, muito pesada, mas concordo com você que a capa é linda.
Dá uma conferida na resenha que tem um errinho, lá no começo!
Desculpa por avisar.
Beijos.
http://umlivroenadamais.blogspot.com.br

Dara Luiza 31 de dezembro de 2014 09:03  

Gente, alguém que leu o livro: pelo amor de Deus, quem é o Maldito?! Juro que não entendi quem era .-. Na verdade, tenho minhas especulações mas não sei se estão corretas... Alguém pode me mandar um email falando?! daraluizam@gmail.com

Postar um comentário

Enquanto isso no skoob

Posts Recentes

  © TESOURO LITERÁRIO - Todos os Direitos Reservados